Inundação – Flooding

IMG_1466

Queridos yoguis, (for English scroll down)

Por causa duma “inundação” do estúdio de yoga no Ninho de Empresas na sexta feira passada, tenho de mudar as aulas a um outro sitio. A chuva de granizo nesse dia foi tão forte que o telhado do Ninho de Empresas no lado do estúdio não provou resistente! O piso do estúdio é estragado tal como o tecto.

Mudo as aulas pela minha quinta para a semana que vem.

Terça feira: 10:00 e 19:00 horas
Quinta feira: 10:00 e 19:00 horas

Com tempo agradável fazemos yoga na rua, com chuva na casa.

Os participantes que não sabem a minha morada, por favor envie-me um e-mail. Assim posso enviar-te o itinerário. A quinta é perto da Ponte Velha.

Espero saudar-te na minha quinta.

Beijinhos, Liesbeth

Dear yogi’s,

Due to a “flooding” in the studio at the Ninho de Empresas last Friday, I have to move the classes to another place. The hailstorm of that day was so heavy that the roof of the Ninho de Empresas at the side of the studio proved to be too weak to carry the weight. The new studio floor is totally damaged and so is the ceiling.

This coming week I will move the classes to my quinta.

Tuesday: 10:00 and 19:00 hours
Thursday: 10:00 and 19:00 hours

With nice weather we will yoga outside, with rain inside the house.

If you don’t know my address, please let me know by e-mail. I will then send you the itinerary. The quinta is very close to Ponte Velha.

I hope to see you there!

Love, Liesbeth

A idioma e o pensamento

Encontrei o Ted Talk de Lera Boroditsky. Acho tão interessante saber que as idiomas (7.000 no mundo) determinam a nossa maneira de pensar! Para falar de nós: eu, como holandesa percebo as coisas numa maneira distinta que tu, como português(a). Para mim aprender o português não é só aprender palavras, mas da-me simultaneamente uma vista no conceito português de pensar … ficamos aprendendo. 😉

 

 

O psoas, o músculo da alma

images-4

(for English click here)

O psoas representa as mais profundas qualidades instintivas da energia no ser humano. Mulheres e homens sábios se conectam com a terra desde a área do psoas. Um psoas integrado e a funcionar bem, cria um porto seguro e tranquilo desde que podes mover no exterior e no mesmo tempo ficar no teu interior.

Só se o psoas tem a liberdade para mover, a energia do corpo flui sem problemas, as nossas emoções estão em balance e o nossos pensamentos ficam integrados.

O psoas é o músculo mais profundo e estabilizador no corpo humano. Ele afeta o equilíbrio estrutural, a amplitude dos movimentos, a mobilidade articular e o funcionamento dos órgãos do abdómen.

O psoas o único músculo que liga a coluna vertebral às pernas, é responsável por nos manter em pé e o que permite levantar as pernas para andar.

Estudos recentes também consideram o psoas, um órgão de percepção composto de tecido bio-inteligente que incorpora literalmente, nosso desejo mais profundo de sobreviver e florescer.

Ele é o mensageiro primário do sistema nervoso central, por isso também é considerado um porta-voz das emoções.

Um estilo de vida acelerado e o estrese geram uma descarga de adrenalina. Adrenalina tenciona cronicamente o psoas. Se mantivermos o psoas constantemente em tensão devido ao estrese, eventualmente, começarão a encurtar e endurecer.
Assim dificultará a nossa postura e as funções dos órgãos. Resultando em dor nas costas, problemas de disco ou problemas digestivos. Em fim vai afeitar a respiração e o corpo fica num estado de alerte constante.

Um psoas liberado permite alongar muito mais a parte posterior dos músculos e melhora a posição da coluna vertebral e de todo o tronco, com a consequente repercussão na melhoria das funções dos órgãos abdominais, da respiração e do coração.

Quando cultivamos a saúde dos nossos psoas, reacendemos nossas energias vitais que se conectam novamente com o nosso potencial criativo.

O psoas seria como um órgão de canalização da energia, um núcleo que nos conecta com a terra , nos permite criar um suporte forte e equilibrada desde o centro da nossa pélvis. Assim, a coluna vertebral se alonga e, através dela, pode fluir toda nossa vitalidade.

(Fontes: Liz Koch, The Psoas Book and http://www.yoguifeliz.com)

Meditação nas sextas

IMG_8007

(for English scroll down)

A demonstração de interesse por uma aula de meditação semanal, me fez decidir mesmo assim de adaptar o meu programa e oferecer esta aula desde Fevereiro 2018. Eu considero a importância de aprender a meditar tão grande que deixo ao lado com vontade outras atividades.

Nas sextas feiras de manha às 10:00 horas vocês estão muito bem vindo na minha quinta para meditar na natureza. Se o tempo não permite ficar fora, a minha salão é grande o bastante.

Quando: Sextas feiras (primeira aula: 2 de fevereiro 2018)
Hora: 10:00-11:00 horas
Onde: Quinta Os Chões, Ponte Velha
Preço: € 5 por aula

Inscrição:
Paga por aula. Deixa-me saber o mais tardar na quinta-feira se participa. Isso em relação com as preparações. Quando não sabe onde moro, envio-lhe a localidade depois a sua inscrição.


ENGLISH

Meditation on Friday
The interest shown for a weekly meditation class, made me decide after all to change my program and offer a weekly class as of February 2018.
I consider the significance of learning meditation so important that I happily have set aside other occupations.

On Friday morning at 10:00 hours you are more then welcome at my house to meditate in nature. If ever the weather does not permit us to be outside, my house is big enough to accommodate a meditation group.

When: Fridays (first class February 2, 2018)
Time: 10:00-11:00 hours
Where: Quinta os Chões, Ponte Velha
Price: € 5 per class

Signing up:
You pay per class. Let me know at the latest on Thursdays if you will be participating. This, for preparation reasons. When you do not know where I live, I will send you the explanation after signing up.

Uma boa pessoa

bunny-yoga-classes-with-rabbits
Bunny Yoga – Yoga com Coelhos

(English or Dutch)

Ontem ao redor das oito e media na tarde chego a casa depois ensinar uma aula de yoga. Antes da aula fiz uma sopa deliciosa com todos os tipos de verduras como a nabiça. Durante o jantar conto da aula, dos alunos e da temperatura no estúdio. Finalmente – depois estudar o manual durante dez minutos – consegui programar o aire acondicionado. Um luxo!

Falando de yoga, o meu marido Coen dá a sua contribuição.

“Já ouviste falar de Bunny yoga – yoga com coelhos?”

Coen quase sempre faz piadas, então estudo a sua cara com suspeição.

“A sério. Existe! Vai buscar em internet, no social media.”

“Noticias falsas!” Protestou eu.

“Não, noticias reais!” Ele ri.

Mais tarde esta noite vou verificar a sua sugestão e encontro um artigo no Indepent de Canada. O meu queixo cai e continua a cair enquanto ver o vídeo relacionado no You Tube.

Depois yoga com cabras, agora existe yoga com coelhos. Sinto surgir uma irritação. Isso quase nunca acontece quando trata-se do comportamento das pessoas. E agora que sim. Decido de deixar o sentimento pelo que é, vou para a cama e esta manha volto a ensinar uma aula. Só durante a aula – uma vez mais num estúdio bem quente – ocorre-me de onde provém esta irritação.

Não estou a falar do que as pessoas fazem nas suas vidas. Não me incomoda a menos que as coisas que não me fazem feliz não ocorrem no meu espaço. Não, a minha preocupação é a erosão de yoga. Tornou-se num sector que apresenta o mais rápido crescimento especialmente nos EUA e logicamente o comercio se construi num tema bem sucedido. Mas não só isso. Escolas de yoga brotam por todo o lado. Uma oferece variação X no tema de yoga e uma outra variação Y. E como com todas as disciplinas de deportes que envolvem dinheiro, que não têm uma proteção oficial da profissão e com quem se pode manipular as pessoas, esse fenómeno entra na Europa. O vazio chega à Europa. A decadência governa em todas as frentes. Afogado em consumismo. Em comprar, ter e manter. Então porque não yoga com cabras e coelhos?

O fato que tribos inteiros estão de pé, sentados ou deitados num tapete de yoga para procurar e aprender a arte de relaxar-se e focar-se, me dá um grande excitação, mas acho terrível que tudo leve o nome de yoga. Com isso o yoga como totalidade foi dividido em diferente tipos de yoga. Yoga para a respiração, o corpo, mulheres grávidas, gente depressiva, crianças, bebés, costas, ancas, idosos e para animais de companhia. Esta lista não está completa. Há mas sob o sol velho. Ouso dizer que isso é de todo, mas não é yoga como yoga está destinado a ser.

O treinamento clássico de yoga oferece os meios para ficar uma boa pessoa. O princípio básico:

Deixa o “bom” pelo que é e aprende a fazer o “mau” melhor até que transformou ao “bom”.

Isso requer um equilíbrio e com o treinamento de yoga podes adquirir este equilíbrio. És gentil para ti mesmo com o objectivo final de ser bom e amável para o mundo inteiro. Sem condições. O primeiro passo (ser gentil para ti mesmo) é extremamente difícil enquanto não treinar diariamente. Então o yoga não é uma coisa que se faz só no teu tapete. É um modo de vida. Uma filosofia de vida. As cabras e os coelhos são como social media: uma distração completa. Imagina-te investir tempo em ti mesmo e focar-te em ti mesmo?

Se queres fazer do mundo um lugar melhor, certamente não precisas partilhar vídeos de animais abusados ou convidar coelhos no teu tapete. Só tens para ser uma boa pessoa. E se não podes lidar com animais abandonados e abusados, porque não trabalhar num canil? Ali podes alcançar algo. E quem sabe? Os animais podem ser o teu espelho? Porque o quão mal estás a abandonar ou abusar de ti próprio?

O círculo está fechado

IMG_0850
Os principais atores em 1942. Se casaram três dias antes a invasão japonesa das Índias Orientais holandesas (Indonésia). A minha mãe teve 24 anos e o meu pai 26 anos.

(English)

A minha secretária está limpa. Todos assuntos nos tabuleiros estão tratados. Nada resta
pela minha espera. Nada. Agora posso pôr as primeiras palavras do livro sobre a história da minha família no papel. Com calma. A ecrã em frente de mim mostra esta página branca quando ouço o som do Twitter no meu telefone. Oh … quase esqueci … é a terça feira, é o dia em que escrevo o meu blog como parte do #PHOT – Photo on Tuesday.

Normalmente escrevo o blog nas segundas. Terça-feira é o meu dia de ensinar yoga, então tenho menos tempo para escrever. Acho que contei mal os dias por causa do Novo Ano. Por isso vou escrever primeiro o #PHOT.

Um dia lei uma explicação da significação da palavra “fé”. Esta explicação era constituída
por três palavras. Gosto muito: curto e grosso.

Fé é: Vê-lo feito!

Tive que tirar algum momenta de deixá-lo afundar. Durante uns dias permiti a significação dançar na minha mente. Tive em consideração todos os meus desejos e vontades da vida – pequenos e grandes. E quanta fé tive na minha vida nos resultados desses desejos? Tive tido esse tipo de fé?

  • Expressar um desejo. Ponto.
  • Nunca mais me refiro ao esse desejo. Ponto.
  • Esquecer isso. Ponto.
  • Ter fé que o resultado vai aparecer no momento justo. Ponto.

Honestamente? Sim, é o que eu faço. Depois enviar o desejo ao universo, já está em existência, mais ainda não está visível. Nunca me refiro ao desejo. Eu esqueço isso. Só no momento de aparição sou alegremente surpreendido e penso: Olha, de onde veio isso?

Nos últimos anos lei muitos livros sobre este assunto. As explicações da lei de atracão geralmente sou exaustivas e as vezes (para mim desnecessariamente) complexas. A expressão acima mencionada captura-la. Faz todo o meu ser sorrir.

O meu desejo de escrever a história da minha família é antiga e de repente nos últimos três meses aparecem todo que tem uma ligação com este desejo. O tempo. O espaço. O arquivo e sobretudo a minha mente é libre. Não foi possível começar com o livro mais cedo na minha vida. Ficou perto demais. Eu tinha muitas emoções coloridas. Mesmo quando outros me digam: isso livro nunca entrará em existência! Eu sempre sabia que o livro vir a luz do dia no momento justo. E agora que eu desfiz-me do casaco pesado da família, posso começar.

Obviamente, após a publicação deste #PHOT blog.

AGORA.