Nunca não fazer nada

Wandeling LS.jpg

[English]  [Nederlands]

Os meus colegas de casa costumam me perguntar, quando vou não fazer nada. Apenas sentar-me, sem tarefa alguma. É, o que querem dizer. Como eles fazem e, são bons em apenas sentar e olhar para o nada. Olhar para o vazio. Para dizer a verdade, estudo o meu marido às vezes quando está nesse estado e depois de cinco minutos me pergunto: o que há de tão bom nisso? Ele diz que não fazer nada é bom para o processo criativo, assim como o tédio. É um artista. Então tal vez isso explica muito. Às vezes imagino que não fazer nada é uma forma de meditação. Perguntei a ele o que acontece na sua mente quando estar no seu estado de fazer-nada. A sua corrente de pensamentos continua e está inconscientemente sendo arrastado da esquerda para a direita; dum estado de espírito para outro. Sem rumo.

Se essa maneira de fazer nada promove o processo criativo, o que a meditação poderia fazer? Afinal, isso também é estar parado mas com um objetivo, ou seja, desenvolver a consciência. A meditação refina a tua consciência para que possas perceber melhor. Ser capaz de registar claramente o que acontece ao teu redor e em ti, traz compreensão e leva à aceitação da vida como se apresenta. De fato, significa o fim de toda “guerra” na tua vida e para dizer-o melhor: traz liberdade interior.

Há muitas pessoas que não querem aprender a meditar. Eles têm todos os tipos de razões para isso, como não há tempo; é para hippies, para iogues; isso não se encaixa na minha vida e assim por diante.
Alguns deles vêm para as minhas aulas de ioga para participar ativamente nos exercícios. Lentamente estou ajuntar algum tempo para aprender a ficar parado. Começar com cinco minutos. E vejo que eles estão indo bem. Isso os torna quietos e mi também.

Seria maravilhoso se todos pudessem fazer isso em casa no seu próprio tempo. Custa no máximo uma meia hora ou menos por dia. É estranho que todos nós tenhamos tempo para ver televisão, conversar, discutir, fazer amor, comer e escovar os dentes, e ficar quieto por meia hora por dia com uma intenção, parece ser uma ponte longe demais.

Para mim, surge a pergunta: o que as pessoas temem? Estão com medo de se verem no seu mundo autocriado? Sim, isso pode ser intenso.

Podes realmente considerar a minha chamada meditação de percepção como terapia de vida sem terapeuta. Tem um efeito purificador e curativo no teu personagem e fornece compreensão sobre a vida complexa.

Em última análise, aprendes a lidar melhor com bloqueios e problemas, para que sejas mais estável na vida. Isso é algo para ter medo? Eu daria tempo para isso.

Se sentar-te parado, não fazer nada, olhar para o nada e o tédio são bons para o processo criativo, então ficar quieto e praticar a atenção plena, é uma ferramenta melhor, acho, porque o meu processo criativo flui o dia todo e o meu nível de energia é estável. Não tenho que ficar parado e não fazer nada para ter isso. Assim que começo uma tarefa, a transformo numa obra de arte com atenção total. Quer escreva, ensine ioga, limpe a casa ou faça um bolo. Não faz diferença.

Então sim, eu nunca faço nada! E sempre permanecerá assim.

Meditação – Meditation

chris-ensey-87456-unsplash
Photo by Chris Ensey on Unsplash

(for English scroll)

Duas horas para tí mesmo no domingo de manha

Duas horas para meditar, praticar mindfulness e conversar sobre qual tópico que aparece. Há chá e doces. Estás pronto para arranjar tempo para ti próprio?

Desta vez estaremos juntos no estúdio de yoga.

Deixe-me saber se vais participar (isso seria ótimo).

Até domingo!

Contribuição: 5 €

 

Two hours for your self on Sunday morning

Two hours to meditate, practice mindfulness and for conversation about what topic appears. There is tea and sweets. Are you ready to make time for you?

This time we will be coming together in the yoga studio.

Let me know if you will be attending (that would be great).

Until Sunday!

Contribution: 5€

Um novo ano, um novo impulso

alexandre-chambon-28720-unsplash.jpg

[English]

Desejo-te um espantoso e feliz Ano Novo!

Tu tens boas intenções para 2019?

Desejas fazer uma série de coisas de forma diferente ou parar de fazê-las ou fazer algo completamente novo?

Sabes que esses impulsos perdem força rapidamente; às vezes até tão rápido que paras de criar novas intenções. Caso contrário, podes ficar desapontado contigo mesmo.

Novos impulsos são difíceis de manter devido a um processo biológico no teu cérebro. Portanto, não é totalmente a tua culpa.

Funciona assim:

Quando queres aprender algo novo, tudo começa a trabalhar na tua cabeça. Uma nova conexão cerebral é feita. Compare isso com um músculo do teu corpo. Uma vez que comeces com o teu novo hábito, curso ou o que for, começas a treinar esse músculo. Então, quanto mais usas esse músculo, mais forte ele se torna. Uma vez que a conexão cerebral/músculo se tornou dominante, as antigas conexões cerebrais desaparecem. Então esse velho hábito desaparece lentamente. O músculo fica fraco.

A força de vontade e a disciplina são importantes para alcançar o seu objetivo, treinar o novo músculo. Tens tudo nas tuas próprias mãos. Podes de fato mudar tudo. Não precisas de ninguém para isso ou qualquer dinheiro.

Quer parar de fumar ou praticar yoga todas as semanas, tudo depende da rua vontade de mudar. Pergunte a ti mesmo se tu realmente queres mudar, por dentro. Qual é a importância para ti?

2019 é mais um ano de verdade. Ser honesto e sincero contigo mesmo é essencial para passar este ano e também ter tempo para ficar quieto. Não subestime o efeito positivo na tua vida.

Na próxima semana as lições começarão de novo.

Adoro treinar com vocês e ficar quieto e espero receber todos de novo. As manhãs de meditação começam também, nos segundos domingos do mês. Todas as datas podem ser encontradas abaixo.

Espero ver-te novamente na próxima semana.

As aulas de yoga começam na terça-feira, 8 de janeiro de 2019
Semanal: terças e quintas feiras às 10:00 horas e 19:00 horas.

Reuniões de meditação – Satsangs
Nao segundos domingos do mês.
Domingo, 13 de janeiro de 2019

Aprecio se me deixar saber se estás lá. De preferência por e-mail.

Beijinho!

Fique calmo

IMG_2244 kopie.jpg

[English]  [Nederlands]

Os meses passados parecem uma viagem de descoberta. Não, não estou falando duma descoberta do mundo, mas de algo que vai além deste mundo. Eu quero dizer uma jornada para o meu mundo interior. Tu sabes que estou escrevendo uma biografia sobre a vida dos meus pais. Tu também sabes que eu tenho um arquivo inteiro com mais de cem cartas cobrindo o período de 1937 a 1960. Desde então, a minha mãe arrastou a mala atrás dela e num pedaço de papel ela rabiscou:

“Não será por acaso que essa mala viu metade do mundo e sobreviveu a uma guerra. Algo tem que ser feito com isso!”

Quinze anos atrás eu tinha começado a colocar a história do meu pai no papel. Naquela época não tinha ideia dessa mala. Quando naqueles dias eu fazia perguntas à minha mãe, a sua resposta era invariavelmente:

“Eu te contará, mas não precisas escrever nada sobre mim. Tu esperas até que eu esteja morto!”

Desde que eu queria um livro sobre ambos, eu coloquei a minha caneta no chão. Ficava fazendo perguntas e achava que sabia toda a história. Até que peguei as cartas.

Este projeto – o livro da família – não é apenas um dos meus projetos. Isso é duma ordem diferente. É pessoal. As cartas dos meus pais me tocam tão profundamente que me afasto regularmente para fazer algo completamente diferente. Todo esse arquivo está ao redor e na minha escrivaninha, então não posso ignorá-lo. Tenho que continuar. Embora às vezes finja não ver as pilhas na minha secretária.

Hoje entendi porque me atinge assim. Cheguei no ano de 1942. Sim, trabalho cronologicamente porque me dá uma melhor compreensão da vida e das circunstâncias. Pouco antes da guerra irromper nas Índias Orientais Holandesas. Esta manhã li uma carta que minha avó – mãe da minha mãe – escreveu para a minha mãe que se casaria na ilha de Sumatra. Isso não poderia acontecer em Java (onde a minha mãe morava) porque o meu pai já havia sido chamado de armas e porque os japoneses estavam com dois pés no norte de Sumatra.

Minha avó escreve isso no dia do 1º de fevereiro de 1942:

“A tua carta foi muito apressada, nervosa e obscura. Criança, não fique nervoso. Fique calmo. Não te deixes aborrecer por um possível bombardeio; todos nós vamos receber a nossa parte. Forneça cobertura e mantenha-se coberto de todas as maneiras. Pense em fracos e chicletes, se necessário um elástico. Somente quando viajar se torna difícil, tu sais imediatamente.”

Isso me empolgou. Quando li isso, senti esse medo subir como uma fonte. Aquele medo! Eu tive isso desde que eu posso falar. Sabia que a minha mãe estava com medo – não me perguntasse como sabia – e quando perguntei a ela sobre isso, ela sempre acenou. E esse medo sempre esteve presente comigo, como com ela. Um arrepio percorre a minha espinha ao ler.

No final da carta em um P.S. a minha avó que também não tem ideia do que o tempo vai trazer, escreve:

“Compre o teu bilhete de barco na estação Tandjoeng Karang. Depois do casamento, faça uma pequena foto de vocês juntos. Não esqueça!”

Mais uma coisa sobre meditação

IMG_2239

[English version]

Sem exceção, noto nas minhas aulas de ioga qual é a suprema necessidade dos participantes: uma mente quieta. Nem mesmo um corpo suave e flexível. Para a maioria deles, isso vem em segundo lugar, ou desistiram disso. Viver com todos os tipos de inconveniências e dores foi aceito, como uma verdadeira vítima faria.

As pessoas suspiram com tanta frequência:

“Se o meu pensamento pudesse parar!”

Bem, ninguém é capaz de impedir isso. Por mais que a gente queira.

Hoje fui dar uma longa caminhada com o meu marido e os cachorros. Nas últimas três noites e às vezes durante o dia choveu forte e já os campos amarelados e murchados são verdes. Então, dentro de três dias, a natureza está se recuperando do longo e quente verão. E numa semana, os campos parecerão suculentos novamente. Todos, incluindo as ovelhas e as cabras, serão felizes.

Por que eu digo isso?

Vagando pelos campos, me perguntei porque os humanos pensam que eles são algo diferente da natureza?

Esse não é o caso. Humanos, tu e eu, somos a natureza. Isso significa que nós também podemos recuperar-nos de todos os inconvenientes em um curto espaço de tempo. Isso não acontece porque tu e eu acreditamos no que pensamos. Nós aceitamos tudo o que passa nas nossas mentes pela verdade. E ‘tudo’ é muito, muito mesmo. O caos numa cabeça humana é imenso. Há um bombardeio de informações ao longo do dia. Nos nossos telefones inteligentes, Internet e televisão. Além disso, todo o mundo quer encontrar a imagem ideal do século 21 de amor, família, melhores empregos e grandes casas e carros.

A que distância estamos da realidade, da nossa conexão com a natureza?

Não me surpreenda que haja tantas pessoas esgotadas que não possam se concentrar em nada. A doença – porque acho que é uma doença – é o começo de algo bom; especialmente porque os remédios não proporcionam consolo, mas investigar os teus próprios pensamentos e observar-te seriamente, isso sim.

Ser capaz de permanecer no estado de meditação é a cura maior- espiritual e fisicamente – que pode acontecer com uma pessoa. Isso é natureza. Assim como a relva e as árvores, tu não sofres dos pensamentos quando estás nesse estado.

Para entrar nesse estado, treinar a tua atenção é o primeiro passo. Basta fazer o que tu sempre fazes na tua vida – não mudas nada – mas, a partir de agora, fazes isso com atenção.

Desligue a teu celular. Existe um botão! E planejes fazer uma coisa de cada vez.

Se andar, andas.

Se estás no trem, estás no trem.

Não fazes nada além de estar consciente do teu corpo, da tua respiração e o teu ambiente.

Comece com cinco minutos por dia. Seja calma. Sem pressa. Aposto que depois de uma semana já vês o mundo de maneira diferente. E que, depois daquela primeira semana, esses cinco preciosos minutos cresceram em dez minutos por dia.

Deixe-me saber a tua experiência com isso.

Próxima Satsang: domingo 11 de novembro às 10: 00h na minha quinta.

Yoga em Setembro- in September

cropped-18193824_1959424380955633_8920102966326795577_n.jpg

Querida(o)s yoguis (for English scroll down),

O mês de setembro chega rápido! Por isso convido-te de inscrever-te quanto antes para yoga. Como o espaço na minha quinta e no estúdio tem um limite, prefiro contar com ao redor de 10 participantes por aula.

Portanto os “early birds” (madrugadores) têm a primeira escolha.

As aulas acontecem na minha quinta. O meu estudioso no Ninho de Empresas voltará a funcionar por volta de 15 de setembro e enquanto o tempo permitir, faremos yoga na natureza.

INSCREVE-TE AGORA! por e-mail liesbeth@liesbethsteur.com, messenger, whatsapp, Facebook @yogastudiomarvao.

Dear yogis,

September will be there before we know it. Therefore I invite you to sign up for your yoga class. As the space at my farm and in the studio are limited, I know around 10 participants per class will do.

So, early birds have the first choice.

The classes will take place at my quinta. The studio at the Ninho de Empresas will be up and running again around September 15, says the Câmara. And as long as the weather permits we will be doing yoga in nature.

SIGN UP NOW! by e-mail liesbeth@liesbethsteur.com, messenger, whatsapp, Facebook @yogastudiomarvao.

SEPTEMBRO 2018 SEPTEMBER 2018
3° feira / Tuesday 04-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
5° feira / Thursday 06-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
3° feira / Tuesday 11-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
5° feira / Thursday 13-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
3° feira / Tuesday 18-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
5° feira / Thursday 20-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
3° feira / Tuesday 25-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h
5° feira / Thursday 27-09-2018 10:00 h e / and 19:00 h

Os preços mensais permanecem os mesmos da turma passada.
Monthly fees are the same as last year’s.
Uma aula por semana / One class per week: € 20
Duas aulas por semana / Two classes per week: € 35
Uma aula separada / just one class (for passers-by): € 10

Deixa-me saber se tens dúvidas / let me know if you have questions.

Beijinho / love, Liesbeth

Some info for those who participate in the SATSANGS:

O próximo SATSANG SINERGIA (Encontro no domingo) / The next Sunday’s Synergy Gathering
(clique aqui para uma explicação / click here for an explanation)
Domingo 9 de setembro 2018 – Sunday 9 September 2018
10:00 – 12:00 horas