O psoas, o músculo da alma

images-4

(for English click here)

O psoas representa as mais profundas qualidades instintivas da energia no ser humano. Mulheres e homens sábios se conectam com a terra desde a área do psoas. Um psoas integrado e a funcionar bem, cria um porto seguro e tranquilo desde que podes mover no exterior e no mesmo tempo ficar no teu interior.

Só se o psoas tem a liberdade para mover, a energia do corpo flui sem problemas, as nossas emoções estão em balance e o nossos pensamentos ficam integrados.

O psoas é o músculo mais profundo e estabilizador no corpo humano. Ele afeta o equilíbrio estrutural, a amplitude dos movimentos, a mobilidade articular e o funcionamento dos órgãos do abdómen.

O psoas o único músculo que liga a coluna vertebral às pernas, é responsável por nos manter em pé e o que permite levantar as pernas para andar.

Estudos recentes também consideram o psoas, um órgão de percepção composto de tecido bio-inteligente que incorpora literalmente, nosso desejo mais profundo de sobreviver e florescer.

Ele é o mensageiro primário do sistema nervoso central, por isso também é considerado um porta-voz das emoções.

Um estilo de vida acelerado e o estrese geram uma descarga de adrenalina. Adrenalina tenciona cronicamente o psoas. Se mantivermos o psoas constantemente em tensão devido ao estrese, eventualmente, começarão a encurtar e endurecer.
Assim dificultará a nossa postura e as funções dos órgãos. Resultando em dor nas costas, problemas de disco ou problemas digestivos. Em fim vai afeitar a respiração e o corpo fica num estado de alerte constante.

Um psoas liberado permite alongar muito mais a parte posterior dos músculos e melhora a posição da coluna vertebral e de todo o tronco, com a consequente repercussão na melhoria das funções dos órgãos abdominais, da respiração e do coração.

Quando cultivamos a saúde dos nossos psoas, reacendemos nossas energias vitais que se conectam novamente com o nosso potencial criativo.

O psoas seria como um órgão de canalização da energia, um núcleo que nos conecta com a terra , nos permite criar um suporte forte e equilibrada desde o centro da nossa pélvis. Assim, a coluna vertebral se alonga e, através dela, pode fluir toda nossa vitalidade.

(Fontes: Liz Koch, The Psoas Book and http://www.yoguifeliz.com)

Uma boa pessoa

bunny-yoga-classes-with-rabbits
Bunny Yoga – Yoga com Coelhos

(English or Dutch)

Ontem ao redor das oito e media na tarde chego a casa depois ensinar uma aula de yoga. Antes da aula fiz uma sopa deliciosa com todos os tipos de verduras como a nabiça. Durante o jantar conto da aula, dos alunos e da temperatura no estúdio. Finalmente – depois estudar o manual durante dez minutos – consegui programar o aire acondicionado. Um luxo!

Falando de yoga, o meu marido Coen dá a sua contribuição.

“Já ouviste falar de Bunny yoga – yoga com coelhos?”

Coen quase sempre faz piadas, então estudo a sua cara com suspeição.

“A sério. Existe! Vai buscar em internet, no social media.”

“Noticias falsas!” Protestou eu.

“Não, noticias reais!” Ele ri.

Mais tarde esta noite vou verificar a sua sugestão e encontro um artigo no Indepent de Canada. O meu queixo cai e continua a cair enquanto ver o vídeo relacionado no You Tube.

Depois yoga com cabras, agora existe yoga com coelhos. Sinto surgir uma irritação. Isso quase nunca acontece quando trata-se do comportamento das pessoas. E agora que sim. Decido de deixar o sentimento pelo que é, vou para a cama e esta manha volto a ensinar uma aula. Só durante a aula – uma vez mais num estúdio bem quente – ocorre-me de onde provém esta irritação.

Não estou a falar do que as pessoas fazem nas suas vidas. Não me incomoda a menos que as coisas que não me fazem feliz não ocorrem no meu espaço. Não, a minha preocupação é a erosão de yoga. Tornou-se num sector que apresenta o mais rápido crescimento especialmente nos EUA e logicamente o comercio se construi num tema bem sucedido. Mas não só isso. Escolas de yoga brotam por todo o lado. Uma oferece variação X no tema de yoga e uma outra variação Y. E como com todas as disciplinas de deportes que envolvem dinheiro, que não têm uma proteção oficial da profissão e com quem se pode manipular as pessoas, esse fenómeno entra na Europa. O vazio chega à Europa. A decadência governa em todas as frentes. Afogado em consumismo. Em comprar, ter e manter. Então porque não yoga com cabras e coelhos?

O fato que tribos inteiros estão de pé, sentados ou deitados num tapete de yoga para procurar e aprender a arte de relaxar-se e focar-se, me dá um grande excitação, mas acho terrível que tudo leve o nome de yoga. Com isso o yoga como totalidade foi dividido em diferente tipos de yoga. Yoga para a respiração, o corpo, mulheres grávidas, gente depressiva, crianças, bebés, costas, ancas, idosos e para animais de companhia. Esta lista não está completa. Há mas sob o sol velho. Ouso dizer que isso é de todo, mas não é yoga como yoga está destinado a ser.

O treinamento clássico de yoga oferece os meios para ficar uma boa pessoa. O princípio básico:

Deixa o “bom” pelo que é e aprende a fazer o “mau” melhor até que transformou ao “bom”.

Isso requer um equilíbrio e com o treinamento de yoga podes adquirir este equilíbrio. És gentil para ti mesmo com o objectivo final de ser bom e amável para o mundo inteiro. Sem condições. O primeiro passo (ser gentil para ti mesmo) é extremamente difícil enquanto não treinar diariamente. Então o yoga não é uma coisa que se faz só no teu tapete. É um modo de vida. Uma filosofia de vida. As cabras e os coelhos são como social media: uma distração completa. Imagina-te investir tempo em ti mesmo e focar-te em ti mesmo?

Se queres fazer do mundo um lugar melhor, certamente não precisas partilhar vídeos de animais abusados ou convidar coelhos no teu tapete. Só tens para ser uma boa pessoa. E se não podes lidar com animais abandonados e abusados, porque não trabalhar num canil? Ali podes alcançar algo. E quem sabe? Os animais podem ser o teu espelho? Porque o quão mal estás a abandonar ou abusar de ti próprio?

Yoga e Meditação em 2018

kaart-2018.jpeg

(FOR ENGLISH SCROLL DOWN)

Queridos Yoguis,

Depois um mês de descanso, festa e tal vez um pouco de reflexão, as aulas de yoga começarem o dia 2 de janeiro. Eu espero ansiosamente pela nova época. Aqui abaixo informação.

HATHA-YOGA
Quando: Terças e Quintas (primeira aula: 2 janeiro as 10:00 horas)
Hora: 10:00 e 19:00 horas
Onde: No estudio no Ninho de Empresas de Marvão em Santo António das Areias
Preço: € 20 por mês

DEIXA-ME SABER SE CONTINUAS (COMEÇAS) POR E-MAIL se faz favor.

SATSANG
Quando: Cada segundo domingo do mês (primeiro satsang: 14 janeiro10:00 horas)
Hora: 10:00-12:00 horas
Onde: Na minha quinta
Preço: € 10 por satsang

Se tens perguntas, pode telefonar-me ou escrever por e-mail.

Espero muito de ver os a próxima semana! Vamos fazer um ano de yoga fantástico, saudável e engraçado!

Beijinhos, Liesbeth


ENGLISH

Dear yogis,

After a week of relaxation, holiday, party time and who knows a little reflexion, the classes will start again on the 2nd of January. I am very much looking forward to this new season. I send you some information:

HATHA-YOGA
When: Tuesdays and Thursdays (first lesson: January 2 at 10:00 hours)
Time: 10:00 and 19:00 hours
Where: My yoga studio in the Ninho de Empresas de Marvão in Santo António das Areias
Price: € 20 per month

LET ME KNOW IF YOU WILL CONTINUE (OR START) BY E-MAIL PLEASE.

SATSANG
When: Every second Sunday of the month (first satsang January 14 at 10:00 hours)
Time: 10:00-12:00 hours
Where: My quinta
Price: € 10 per satsang

If you have any doubts or questions please call me or send an e-mail.

I surely hope to see you next week. Let’s make a great, healthy and fun yoga year!

Love, Liesbeth

A chuva chegou

IMG_0733-1

Foi ás quatro de manha quando cheirei e ouvi a chuva. As gotas embateram no telhado e pela porta aberta do quarto penetrou o som de uma cortina de chuva.

É agradável ser despertado assim e depois cair no sono novamente, sonhando em andar na chuva torrencial.

Durante cinco meses o céu ficou azul e o sol brilhou do amanhecer ao anoitecer. Cinco meses de plena seca. Lá de cima economizou-se água também nos primeiros meses do ano.

Quando a água finalmente chegou, era o desejo de todos nós. Água do céu. O desejo dos agricultores, da terra, das nascentes, das minas, das plantas, dos pássaros, dos ratos, das rãs, dos insectos e das oliveiras cheias de azeitonas, já maduras pelo calor constante, mas também secas e mirradas pela falta de água.

Quando me levantei ás sete, já tudo estava seco novamente. Agora brilha o sol e as previsões ainda são de mais chuva para esta noite. De facto, ainda é muito pouco para a natureza, mas talvez seja o suficiente para dominar os grandes incêndios no centro e norte de Portugal.

Aqui a terra tem muita sede e a meu ver o homem no mundo também.

Não pela falta de água. Pois isso ainda há, água potável. Não, há um cúmulo de sede pelo crescimento financeiro, por mais e por muito mais. E esta sede não parece ter um fim anunciado, porque é uma sede artificial que disfarça a sede real. Pois para matar a sede real o homem deve-se virar para dentro. Aí, vive uma nascente inesgotável. Uma nascente que pode trazer satisfação eterna. O caminho interior não custa um centavo e traz tanto, que viver a vida seria cada vez mais agradável.

A pergunta que surge constantemente na minha cabeça é esta:

“Porquê tanta resistência?”

Obrigada Lina da Paz para o reality check :-)

Arte no estúdio de yoga

IMG_8612 (1)
O estúdio novo

FOR ENGLISH CLICK HERE

No dia 15 de agosto, o dia em que quase ninguém em Portugal trabalha, podemos finalmente acabar a decoração do estúdio novo. Esperamos por este feriado porque devemos furar buracos. Neste dia todas as empresas no Ninho de Empresas estão fechadas. Mesmo o bar. Então podemos fazer barulho sem vergonha. O meu marido Coen é um trabalhador rápido e muitíssimo jeitoso. Sem ele – grata! – o trabalho não conseguiria ser tão rápido.

IMG_8611 kopie
O meu marido Coen a trabalhar no estúdio

E agora a arte bonita de Coen (CoenSt), especialmente feita para o estúdio, está nas paredes, junto com os meus panos (arte têxtil) favoritos.

IMG_8615 kopie

As obras de arte de Coen simbolizam: água, o coração, terra, ar e fogo/sol.

IMG_8614 kopie

O pano vertical vem do Afeganistão (fim do século dezanove) e simboliza o portão de acesso à fonte. Comprei a obra de arte numa exposição na Haia, Holanda.

IMG_8613 (1) kopie

O pano horizontal não é tão velho e vem da Tailândia. É uma kalaga e mostra uma representação da mitologia hindu. O pássaro Hamsa ou Hintha. Diz-se que este pássaro foi o veículo com que Brahma (o deus hindu) desceu à terra. Para os monges de Birmã este pássaro simboliza as qualidades de pureza e gentileza. Este pano foi trazido da Tailândia pelo meu tio nos anos setenta do século passado.

Todas são obras de arte com uma força que convida para o caminho ao interior.

AS PRIMEIRAS AULA DA NOVA TURMA
As primeiras aulas começam na semana de 4 de setembro. As inscrições estão abertas. As turmas de terças estão quase cheias e para as aulas das quintas ainda há lugares. Não duvides por muito tempo. Quero ficar com turmas pequenas (10-12 participantes).

Para mais informação sobre as aulas clique aqui.

Até setembro!

8 Mitos sobre yoga

101_0144
O meu caminho em Holanda | My path in Holland

(FOR ENGLISH CLICK HERE)

Quase toda a gente já ouviu falar de yoga. Mas o facto de se falar muito de yoga, hoje em dia, não significa que as pessoas estejam mais esclarecidas sobre o assunto, do que estavam há uns anos atrás, em que o yoga era desconhecido para a maioria.

Por isso há muitos mitos sobre o yoga. Mitos que não são verdade.

A verdade é que o YOGA É PARA TODOS!

1. É preciso ser flexível para praticar yoga
Falso. Yoga não é ginástica ou acrobacia. O corpo é usado como uma ferramenta de trabalho interior. Por causo disso um praticante vai até onde o seu corpo permite. Com o tempo, o corpo irá permitindo mais e mais.

2. O yoga é muito parado
Pode ser, depende do tipo de aula. Em prática yoga pode ser ativo ou lento mais sempre com um movimento fluido. O Hatha-yoga original compreende tudo.

3. O yoga é para mulheres
Felizmente cada vez menos homens pensam desta forma. No momento que vencem a sua aversão, percebem que o yoga é para todos.

4. O yoga é uma religião
Falso. O yoga não é uma religião e não exclui ninguém. O yoga é uma filosofia de vida, que nos ensina a viver de forma mais consciente. É um caminho que nos ajuda a tomar consciência da dimensão espiritual da vida e a estarmos mais em sintonia com ela.

5. O yoga é para relaxar e acalmar
A calma e o relaxamento são consequências da pratica de yoga, não objectivos. Um yogi é um ser humano normal, de carne e osso, com as suas forças e fraquezas e emoções. Com a yoga podemos estar mais conscientes do que sentimos, gerindo assim as nossas emoções de forma mais produtiva.

6. O yoga é uma atividade física
Apesar de haver uma forte componente física na pratica, o yoga é um trabalho interior. Quando estamos a executar as posturas, o objectivo nunca é trabalhar o corpo pelo corpo, mas sim usá-lo como um instrumente para abrir a porta de entrada para o mais profundo do nosso ser. Por isso, nunca compare yoga com pilates ou com uma outra atividade física qualquer, mesmo quando os exercícios pareçam semelhantes. O yoga é o que fazemos por dentro!

7. Quem pratica yoga é muito espiritual
O que conta é o que fazemos por dentro, não o que fazemos por fora. Quando um praticante se senta numa postura meditativa de olhos fechados – aparentemente a “meditar” – não significa que ele está de facto a trabalhar a sua espiritualidade.

8. Para praticar yoga é preciso ser vegetariano
É verdade que praticantes de yoga se alimentam mas consciente por qualquer razão. Por respeito dos animais, entorno ou saúde. Tens escolha livre e esta escolha procura do interior. A pratica regular de yoga resulta numa maneira natural numa transformação que é oportuna para a tua vida.

Vem praticar yoga e experimente o que é a verdade sobre yoga.

(Basado num artigo de Catarina Mota)