Doaland and Retiro Wudang Taijiquan

[English]

Para aqueles que estão pensando em se juntar ao Retiro de Taijiquan Wudang em Portugal 22-27 novembro de 2018 e para aqueles que já se inscreveram para o Retiro, o fundador e professor da Daoland, Rene Goris, se apresenta com este vlog.

Rene:

Então, entrar em um programa de retiro é uma boa ideia. Tu podes experimentar como é levar uma vida como um Daolander, inspirado pela infinita sabedoria das tradições, artes e estilos de pensamento Daoistas.

Como um praticante de 30 anos, desenvolvi uma perspectiva única como um ocidental. Eu cometi todos os erros que os ocidentais e os chineses modernos cometem e inconscientemente foi ajudado pela lógica de alguns professores não Daoistas e alguns Daoistas para que eu me tornei um Daolander. E principalmente por desafiar o que pensava ser verdade no passado. Isto é, por desafio da opinião populista. Então minhas aulas e minhas palestras não são as mais fáceis.

Juntamente com Liesbeth, a organizadora e anfitriã graciosa do evento, apresentamos um esboço do programa. O programa leva muito oportunidade para satisfazer a tua própria curiosidade. Além do meu programa (o que eu gostaria compartilhar contigo), baseado no Manual de Saúde Daoland, entre outras coisas, eu gosto de tu me questionar para que o retiro seja uma comunicação. Claro que gravarei muitas das aulas para uso posterior na escola, neste canal e talvez algumas partes para o público.

Abaixo encontras o Programa de Desenvolvimento do Wudang Taijiquan Retreat em novembro de 2018. Eu ainda estou trabalhando nisso enquanto vamos, e uma versão final estará pronta a tempo. A tua entrada como convidados já é apreciada. Se tu entrar no Canal do Patreon, é fácil entrar nessa discussão.

Program Wudang Taijiquan Retreat November 2018

Thursday, 22 November
17:00 hours: Latest arrival at Lisbon Airport: Thursday 22 November 2018.

18:00 hours: Transfer from the airport to TrainSpot Guesthouse in Beirã. (2,5 hours drive)

21:00 hours: Introduction and a light dinner. I am told there is a unique cook for the event that is able to make exquisite meals.

Friday, 23 November
08:00 hours: Morning Meditation. This first morning we do a free meditation so that I can see how everyone tends to meditate. Or you can just follow me in my program.

08:30 hours: Breakfast

09:30 hours: Walk into nature and Taiji. Besides making a start with learning the Daoist roots of a special form of Taijiquan, including nature infused movement, standing practice and some applications in daily life in nature and martial arts, we also do some form developing practice. That means based on our experience of nature we get on with things. Flowering of Jing-coherence.

13:00 hours: Lunch

15:00 hours: Talk / lecture: In this program we will introduce some aspects of Taijiquan philosophy, originating in Ru thinking, Ming dynasty developments in movement and meditation and the 20th century developments of Taijiquan as a neo-Daoist skill set, and our options as westerners.

16:00 hours: Taiji / Wudang yoga at TrainSpot: We will do a Wudang play yoga session to challenge your physical abilities and your mental peace. Like in our Friday evening class

17:00 hours: Free time for treatments and relaxing. make sure you book appointments first so that I have an idea of how many needles, hands, and time I should take with me.

19:00 hours: Dinner and conversation: Based on the traditional dialogue methods of Daoism we can touch any topic on the basis of equality. Food will certainly be part of the topic.

20:30 hours: Closing of the day with meditation: Developing the small heavenly circle meditation practice. First session: awakening Yangqi.

Saturday, 24 November
08:00 hours: Morning Meditation: Lingsheng meditation. Lingshen is a further development of Confucian practice also shared in Chan Buddhism, but taking the meditation process to beyond the bliss stage. 1st stage: awakening continuous awareness.

08:30 hours: Breakfast

09:30 hours: Walk into nature and Taiji. See the day before, but now focus is on finding qi in movement and nature. No, not energy.

13:00 hours: Lunch

15:00 hours: Talk / lecture: Discussing the Daoland philosophy of health, how to become healthy and how to avoid death. We talk alchemy and the nonsense of popular discourse.

16:00 hours: Taiji / Wudang yoga at TrainSpot. As the day before

17:00 hours: Free time for treatments and relaxing

18:00 hours: Dinner and conversation

20:00 hours: Public lesson based on bamboo qigong.

21:30 hours: Closing of the day with meditation: Small heavenly circle meditation. Yang dispersion in the large circle.

Sunday, 25 November
08:00 hours: Morning Meditation: Lingshen meditation. Entering the inner court (level 1 of 3)

08:30 hours: Breakfast

09:30 hours: Walk into nature and Taiji, as you know it. Finding peace with nature as life, as a means of developing awareness of the inner reality as stillness and space.

13:00 hours: Lunch

15:00 hours: Sight seeing / free time. Well, that is the plan, but we will see.

19:00 hours: Dinner and conversation

20:30 hours: Closing of the day with meditation: Small heavenly circle. The percolating and maturation process.

Monday 26 November
08:00 hours: Morning Meditation: Lingshen development of body form and the hidden jewel secret.

08:30 hours: Breakfast

09:30 hours: Walk into nature and Taiji. This class we will have to tie up all the practices in a final set to take home.

13:00 hours: Lunch

15:00 hours: Talk / lecture: Talking classics and our understanding

16:00 hours: Taiji / Wudang yoga at TrainSpot as before.

17:00 hours: Free time for treatments and relaxing.

19:00 hours: Dinner and conversation

21:30 hours: Closing of the day with meditation: small heavenly circle: the developmental plan.

Tuesday 27 November
07:00 hours: Meditation: Lingshen. Harmonizing lingshen with yangqi: emptying the heart. (Closing of level 1 teachings)

07:30 hours: Breakfast

08:00 hours: Transfer to Lisbon Airport.

I think this program is pretty full, but I think you will like it!

Eu te convido

ian-espinosa-742628-unsplash
Photo by Ian Espinosa on Unsplash

[English] [Dutch]

Ainda me lembro bem, a primeira vez que a pergunta “o que estou fazendo aqui?” apareceu. Eu tinha cinco anos, morava na Sicília. O Etna retumbou e cuspiu fogo. Eu acabei de estar à beira da morte por tifo. Naquela noite, no terraço, senti e ouvi o estrondo do vulcão e vi os fogos de artifício. O céu estrelado estava lá como sempre.

A minha mãe e a minha irmã mais velha também estavam lá e, no entanto, me senti como uma alienígena.

“O que estou fazendo aqui?” “O que é tudo isso?” Essas perguntas brincavam na minha cabeça e isso era o começo dum caminho longo cheio de solavancos, pedras, montanhas e vales. Muitas contusões, arranhões e feridas e o cenho franzido na testa se transformou numa ruga vertical permanente entre as minhas sobrancelhas.

Estudar livros grossos, aprofundar-me nas filosofias ocidentais e orientais, ensinar ioga e meditação trouxe algumas respostas, mas pouco para ser mais sábio. Celebrando e vivendo a vida, mergulhando nas profundezas, assumindo riscos com o adágio: vamos ver onde isso vai trazer-me, isso sim deu resultado. E, no entanto, a busca por uma saúde ótima e longevidade continua.

Foi assim que acabei nas filosofias chinesas. Confucionismo e taoísmo. Os livros sozinhos nunca me levaram mais longe, mas a aplicação e prática na vida real da ciência que está nesses livros, isso sim. Yoga ainda é uma media importante para mim e agora eu também pratico Wudang (chinês) yoga e Tai Chi Chuan.

Um mundo totalmente novo está se abrindo para mim. Eu gostaria de compartilhar esse mundo contigo, para que a tua vida diária também se torne mais leve.

É por isso que organizo um Retiro de Wudang Taijiquan de cinco dias. Juntamente com Eduardo Salvador e o professor de Taiji Rene Goris, de Amsterdão, quem nos treinará nesses dias.

Guesthouse Trainspot é o nosso alojamento durante o Retiro. Trainspot está localizado no restaurante / guesthouse antigo da estação abandonada Marvão-Beirã. As faixas são silenciosas e nos mostram um caminho. Marvão está localizado no meio do Parque Natural da Serra de São Mamede, na fronteira com a Espanha. Food & Beverage são fornecidos pela Trainspot e são adaptados ao programa e aos desejos dos participantes.

A língua de ensino será o inglês, com tradução para o português. Os dias estão cheios de meditação, treinamento e passar tempo na natureza, palestras sobre as filosofias subjacentes, comer, descansar e também dormir. Há tempo para acupunctura e massagens.

Tu também podes fazer todas as perguntas que estão na tua cabeça.

Se tu vens do exterior, há uma transferência do Aeroporto de Lisboa para Marvão. Para tornar a retiro o mais fácil possível para ti, o preço é all-inclusive. Só precisas comprar o teu próprio bilhete de avião. Assim podes concentrar-te 100% em ti mesmo. Cinco dias. O site dos Retiros no Alentejo oferece a informação e a possibilidade de te registar.

O meu Tai Chi começou em Jacarta

IMG_1635.jpg

[English]

Algo me atraiu por cerca de vinte anos. Eu não dei nenhuma atenção. Até a presente data. Sim, ocasionalmente fiz um workshop nessa direção e li um livro sobre o assunto. Mas é claro que não tive tempo.

Desde 2016, eu vivo novamente no Alentejo em Portugal e, acredite ou não: ainda não há tempo. Mesmo sem trabalho porque estou reformada, mesmo com todo esse silêncio Alentejano. Antes que percebesse, novamente tive uma prática de yoga e, portanto, uma pequena empresa com todos os direitos e obrigações que a acompanham. ‘De volta ao normal’.

Mas aquilo que atraiu não desapareceu. ‘Sem tempo’ não poderia mais servir como argumento. Havia e sempre há algo a acontecer. Então eu cortei a porcaria (no meu pensamento) e me inscrevi para estudar online com Rene Goris em Amesterdão. Isso foi em abril deste ano.

A disciplina: Wudang Taijiquan ou Tai Chi Chuan.

Todos os novos estudos são desconfortáveis e certamente para alguém que está acostumado a ensinar si mesma. Quando eu comecei, sabia pouco sobre essa antiga disciplina do movimento chinesa, exceto que ela me fascinou por 100% desde o primeiro momento em que a vi pessoalmente.

Isso foi em Jacarta, em 1989.

Eu estava lá para trabalhar e, de manhã cedo, quando o sol ainda não estava levantado, eu puxei as voltas na piscina do hotel. Mas eu não estava sozinha. Dois homens chineses mais velhos se moviam lentamente no crepúsculo da manhã. No silêncio mortal, fizeram movimentos lentos e idênticos.

Eu pensei: eu quero ser capaz de fazer isso também! Não sei porque. Parecia tão meditativo, tão quieto e ao mesmo tempo cheio de força.

Todas as manhãs daquela semana eu olhei para eles depois de nadar. O último dia eu perguntei o que eles estavam fazendo. Tai Chi, eles me disseram. Quando eu disse que queria aprender isso, eles responderam como se duma boca com um sorriso: “Agora não, continue nadando, assim que estiver pronto, tu vais fazer”.

Aparentemente estou pronto agora e entendo que eu não poderia ter feito isso mais cedo na minha vida. O treinamento provoca resistência. Os movimentos parecem ilógicos. Às vezes fico confuso sobre sair da minha zona de conforto. E ainda assim continuo. Agora, depois de meio ano, algo começa a se formar e a necessidade de mais cresce.

Mas sim, sem tempo. Tanta coisa para fazer. Eu tenho um marido, um estúdio de ioga, uma casa, família, amigos, comedores, bebedores e muita diversão. Quando devo treinar então? Eu agora reconheço a sabotagem. Cada dia fica mais claro que é apenas sobre o que eu quero agora, não sobre os pensamentos do passado que assombram a minha mente. Além disso, todos os dias minhas pernas ficam mais fortes, minhas costas mais direitas, a minha respiração mais profunda, a minha cabeça mais quieta e os meus braços mais leves. E isso para alguém que ensina aulas de hatha-yoga há 35 anos. Isso é exatamente o que me fascina. O corpo e a mente não têm limites. Os limites estão apenas na tua cabeça.

Então agora, junto com Eduardo Salvador, organizei um retiro para o final de novembro. Em volta do Taiji. Com Rene Goris de Amsterdão como mestre. Aqui no nosso lindo Alentejo. Para ti, também ser capaz de experimentar como é sair da tua zona de conforto de forma razoavelmente protegida e descobrir (novamente) a ti mesmo, tua força e tua vida.

Como se estivesses apaixonado. Mas agora, com ti mesmo.

Tu não precisas ser flexível; tu não precisas ter experiência. Então esses argumentos são falsos também como falta de tempo. E para os praticantes avançados de Taiji, é um novo desafio.

Talvez novembro seja um dia curto para as pessoas que têm um emprego remunerado e precisam pedir licença. E eu sei que se tu realmente queres alguma coisa, é possível. Então tu também podes inscrever-te para novembro.

O estúdio recuperado!

IMG_2123

Olhe para a foto e é como se nada tivesse acontecido em maio passado. Nenhum inundação, nenhum tecto ou piso quebrado. A Câmara do Município de Marvão recuperou tudo, mesmo antes da data prometido. GRATA Câmara!

E sem a ajuda de Libania Salgueira, Jorge Rosado, José-Manuel Pires e Lina da Paz eu não poderia ter feito isso. Obrigada a todos mil vezes.

Amanha terça feira dia 18 de setembro 2018 as aulas são como de costume no estúdio.

ENGLISH
Look at the picture and it’s like nothing happened last May. No flood, no ruined ceiling  or floor. The Câmara of Marvão recovered everything, even before the promised date. THANK YOU Câmara!

And without the help of Libania Salgueira, Jorge Rosado, José-Manuel Pires and Lina da Paz, I could not have done it. Thank you all a thousand times.

Tomorrow, Tuesday, September 18, 2018 classes are as usual in the studio.

O céu azul

IMG_0075

(English)

A minha espreguiçadeira na beira da piscina está metade no sol e metade na sombra. Há uma brisa fresca, o sol da manhã ganha força, a água murmura e o céu é azul profundo. Nenhum avião à vista. Nenhuma nuvem no ar. Eu olho aquele azul profundo até entrar nele. Me sinto tão quieto como o céu e tão imóvel. Nada pode me tocar.

Suponha que a verdadeira natureza do homem seja o céu azul, então as nuvens, grandes, pequenas, brancas ou cinzas, são os pensamentos que flutuam não-solicitados e sempre adiante. Eles não são permanentes. As nuvens passam como pensamentos. Exceto por esse pensamento com o qual tu te conectas inconscientemente. Imediatamente demora e causa desconfortos.

Leva-te para longe da única realidade que existe: o aqui e agora.

Na verdade, a nossa verdadeira natureza é como o céu: constante e intocada. Até uma nuvem não tem influência sobre a nossa natureza. Mas sim sobre a nossa maneira de viver a vida.

Assim que percebo que há um desconforto em mim, sei que permaneci em uma nuvem e, assim, assumo um pensamento não-investigado como a verdade. Para entender a causa desse desconforto, me faço várias perguntas. Estes três por exemplo:

1. Este pensamento é sobre algo que está realmente presente aqui e agora?

2. Isso é bom, amoroso e compassivo?

3. Isso é necessário? É essencial para a felicidade do homem e do planeta e é necessário para a minha sobrevivência?

Tenho certeza que a tua resposta é 3 x não. A realidade é sempre mais amigável do que qualquer pensamento ou crença. E se a tua resposta for 3 x não, tu sabes que viu uma mentira pela verdade.

Eu sou o céu azul e alerta para todas as nuvens, embora elas sejam tão pequenas.

Obrigada Eduardo, Heidi, Marian, Maria, Ana Paula e Karin para participar no Sinergia Encontro de hoje domingo 22 de julho 2018.

O dia mais longo (2)

DSCN0070

(For English click here) (for Dutch click here)

O dia mais longo – a quinta feira passada – tornou-se um dia especial. No meu blog
#PHOT (Photo On Thursday) este dia, intitulado The Longest Day (English) (Portuguese) (Dutch), falei sobre o que o Solstício significa para mim. Acabou por ser uma longa historia sobre o dia mais longo. Acredita em mim, eu realmente treino-me para usar menos palavras. E às vezes menos não é mais. Eventos em desenvolvimento pedem novas descrições.

Eu escrevi no blog sobre o Solstício com um megafone na minha cabeça, transmitindo a cada cinco minutos: “palavras floreadas da Nova Era”, alternando com as palavras: Keep It Stupid Simple. K.I.S.S.” (Manter As Coisas Simples). Essa última frase é a citação favorita do artista CoenSt. Come ele é o meu marido e o primeiro leitor de quase tudo o que escrevo, ouço isso com bastante frequência. Portanto, não devo usar palavras floreadas da Nova Era, tenho que ser simples.

Como descrever algo que os olhos não podem ver? Como fazer algo, que é complexo, simples? Este é um processo criativo e acima de tudo, experiencial. Mas quão simples algo devera ser? Eu acho que todos podem fazer o máximo usando a mente investigadora. Quando há alguma coisa que eu não percebo investigo até que saiba e entenda. Isso chama-se desenvolvimento.

Hoje em dia tudo tem que estar pronto. Rápido. Não há tempo. Simples. Raso. CoenSt e eu conversamos regularmente sobre o assunto. Penso que não se deve assumir nada sem se investigar a si mesmo. Então para mim, um texto pode ser complexo.

CoenSt acredita que, em primeira instância, um texto deve ser acessível e pode ter várias camadas que o leitor com profundidade detecta naturalmente e o leitor que ainda não conhece a sua profundidade, também o pode compreender no seu próprio nível. Bem, o assunto mantém-me ocupada e por enquanto já falei o suficiente sobre isto.

Eu comecei esta noticia do blog para contar como a celebração do Solstício se revelou.
Poucas horas antes da celebração na minha quinta, Karin Pfeifer e eu começamos a colocação das pedras minerais com um padrão. No sombra das oliveiras. Eu não tenho muita experiência com pedras e Karin tem muito. A postura acontece na intuição. Então, permaneça imóvel na consciência interior e permita-se ser guiado pela pedra que se destaca. Não por causa da cor ou forma. A pedra vai te atrair com a sua frequência. Uma frequência que se ajusta à nossa intenção e ao nosso padrão. Depois de terminar, analisamos o significado das pedras.

Assim como as pedras (e os seres humanos), as flores e as plantas têm uma frequência. Elas também desempenham um papel no padrão (veja foto). A nossa intenção com a colocação do padrão era criar um local onde o vórtice das forças da natureza seria reunido e reforçado. Nos dias ao redor do solstício isso já acontece a nível universal. A nossa ação cria um efeito sinérgico.

Tu sabes: 1 + 1 = 3.

Pouco antes do pôr do sol, 18 participantes reuniram-se e conectaram-se conscientemente com as forças da natureza e com o vórtice para transformar a negatividade armazenada nas suas células. Isto vai limpar o corpo.

DSCN0077

Como grupo, nós não iluminamos apenas a nós mesmos, mas também a Terra, todos e tudo o que vive no planeta Terra. Após a sessão, todos os participantes intuitivamente colocaram a sua própria pedra e Karin explicou o significado das pedras. Houve algumas revelações!

IMG_1711

Depois disso, celebramos a nossa iluminação e a do mundo com a boa comida da Susana Maridalho Moura e a minha. Pizzas e cuscuz, bolo de carne e lindas saladas. Mais do que suficiente para todos. Bebemos bons vinhos, conversamos sobre comida – um hábito indonésio e português – e contamos histórias sobre as nossas vidas. A noite foi um reflexo de como uma sociedade consciente poderia parecer. Um grupo de pessoas de diferentes partes do mundo com um e o mesmo interesse: juntos, paz, liberdade e alegria.

O dia mais longo

IMG_1706 kopie
A colocação de pedras; com gratidão à Karin Pfeifer. Uma colaboração perfeita. Laying stones with Karin Pfeifer. A perfect ensemble. Thank you.

(English)  (Dutch)

Hoje o meu dia começou numa maneira estranha. Com trovoada e tempestade. Sem chuva. Isso é um pouco anormal para esta época do ano. Eu hesitei o que fazer. Desde esta semana todas as aulas de yoga aconteceram na minha quinta onde podemos estar na natureza. Para fazer yoga, a tempestade foi muito intensa. No grande terraço ao lado da piscina não consegui ficar de pé imóvel. Alem disso os panos da tenda batiam nos meus ouvidos. Esperei até 9:15 e decidei preparar a sala para a aula na minha casa. Móveis de lado, aspirar e colocar os tapetes. Parei na esteira número dois. Algo dentro de mim, disse-me de esperar um pouco mais. O vento enfraqueceu. A trovoada se afastou e às 10:00 não havia nenhum dos dez participantes regulares. Três me informaram da sua ausência. De repente, um espaço enorme no tempo foi apresentado a mim. Uau! Eu poderia usar isso muito bem. Porque nessa noite organizei uma reunião para celebrar o dia mais longo. Para todos os participantes de yoga e para outros que desejam estar presentes.

Durante a semana passada o programma desta noite cresceu e o porque. Quando faço algo intuitivamente, quase nunca sé porque e como. Isso vem depois. Agora tive tempo de preparar uma boa comida para todos e ficar quieta com as perguntas: porque e como? Como vou dizer algo que tal vez é desconhecido e aparentemente complexo, de uma maneira simples? Acho que sei agora.

Enquanto as pessoas supuserem que “intuição” e “natureza” pertencem ao canto da “Nova Era”, nada mudará neste mundo. A vida neste planeta, assim como a vida humana, é todo sobre intuição e natureza. O pensamento parece ser o maior bloqueio para chegar a uma vida natural. É sobre isso que vou falar hoje à noite. Também com pessoas que pensam que são o que pensam. E para praticar, vou falar disso contigo agora, em detalhes.

Nós, seres humanos, como a vida en geral, estamos sob influência das forças da natureza. Essas forças têm nomes diferentes como energia, freqüência ou luz. Eles surgem do universo e do planeta terra. Sua ação combinada traz vida. Nos! Essas forças têm uma frequência tal como eletricidade e som e o meu e seu cérebro. Quer tu gostes ou não, essas forças naturais nos influenciam 24 horas por dia. Se tu és uma pessoa que pensa “eu sou o que penso”, não notarás muito dessas forças. Tu estás tão ocupado discutindo na tua cabeça e não consegues sentir nada de qualquer maneira. Nem mesmo o teu próprio corpo. Tu simplesmente não sabes que tu és o teu corpo, porque tu achas que o teu corpo seja uma coisa que te ajuda ou incomoda. Tu achas que estejas pensando conscientemente. E lá, apenas ali, todo o contato com uma vida natural cessa. Como já disse, tu não sentes nada. Eu sim.

Eu sei e sinto que tenho uma consciência corporal que inclui todo a meu DNA e as minhas células. Esse sou eu.

Entretanto, uma quantidade razoável de livros de ciências foi escrita sobre o assunto. Então, o seu corpo também é tu.

Eu acho que o pensamento seja grosseiramente superestimado. É útil para sobreviver neste planeta. Nada mais.

Quando nasces, as tuas células são carregadas com a história dos teus antepassados. Para o resto estás sem mácula. As tuas células estaminais consistem de 100% luz. Puro. Inteiro. Provavelmente tu sabes que cada sete anos as células se renovam. Então, em princípio, somos imortais. O que está errado? Pois com um tal sistema tu não tens de morrer, não é?

A maneira como nós, humanos, usamos nosso pensamento. 
Isso é o que está errado. 
Como nós acreditamos cegamente o que está pensado nas nossas cabeças? 
Isso é o que está errado. 
Como aceitamos tudo que nossos pais e educadores nos dizem, como a verdade. 
Isso é o que está errado. 
E acima de tudo, toda a negatividade ligada a isso. Essa negatividade vem naturalmente quando apostar à tua pureza.

Imagine o que acontece:
Uma célula corporal é um copo de água brilhante de nascente. Durante a vida, pequenas gotas (negatividade) de tinta preta estão adicionadas. Alguns grupos de células, como os órgãos, tornam-se mais preto que outros e para algumas pessoas, o escurecimento das células mostra-se em problemas físicos. Mas, com todas as pessoas, essa poluição das células provoca o processo de envelhecimento, uma diminuição da eficiência com que as células funcionam, com a morte em consequência.

Eu considero a tarefa principal na minha vida, re-iluminar as minhas células. Toda a poluição para fora, de modo que es células possam se reproduzir copiando a célula primal, a célula-mãe, a célula 100% luz. Tenho certeza de que, ao fazê-lo, a vida se tornará mais leve, literal e figurativamente.

Hoje agora é um dia assim para fazer limpeza geral. Porque hoje as forças da natureza estão fortemente unidas devido á posição da terra e do sol. E se nós unimos num grupo, como tudo no universo está intrinsecamente ligado e cooperando, então o resultado é 1 + 1 = 3. E isso acontecerá mais tarde hoje à noite. O vento e as nuvens trovejantes se foram, o céu está azul e o sol quente.

Como isso vai acontecer? Eu te direi mais tarde. Porquê? Porque a minha intuição me dirá. Não posso fazer isso com o meu pensamento. Somente quando o grupo estiver completo, saberei o que tenho que fazer. As palavras aparecem assim mesmo. Eu mesmo sempre fico curioso sobre o que sai. Especialmente em português 😉

(Sei bem que o meu português é o português de principiantes. Estou a estudar. Passo a passo. Por favor perdoe-me os meus erros).