Eventos fim do ano

[English]

Vamos ter QUATRO eventos distintos no estudio! Todos eventos são para criar mais tranquilidade e harmonia na sua vida. Se quer mais informações, contate-me.

Concerto Viagem Sonora por Trio Triboleta
Marc Drost, Maria Petersen, Ricardo Townsend
Melodias e canto harmónica

Triboleta Attic

Quando: Sábado, 16 Novembro 2019 | 19:00-21:00 horas
Custo: 5€ (regista por favor; vagas limitadas)
Registro: Marc Drost | 965 677 697

Música é vibração com estrutura. Ela interage com a nossa estrutura interna permitindo transformação.
Quando nos envolvemos em situações guiadas pela criatividade, estamos a permitir ao nosso Ser inspirar-se com novas perspectivas, emoções, pensamentos, sons, cores, etc. Ficamos mais ricos e harmonizados.

Neste concerto, o nosso objectivo é criar “boas vibrações”, de forma a gerar um ambiente de meditação e expansão da percepção. Através da conexão com o som, improvisamos com vozes – melodias e canto harmónico – tambores, percussões, flautas de bambu, taças tibetanas e outros instrumentos mágicos, convidando-te a um mergulho profundo.

Nota: poderás ficar deitado durante a viagem sonora. Traz o que necessitares para estar cómodo. Há tapetes de yoga no estúdio mas podes levar o teu se preferires, manta quente, meias e roupa confortável.

Triboleta é a união de Maria Petersen, Ricardo Townsend e Marc Drost, que se direcionam na criação de viagens sonoras para complementar cerimónias, yoga, contacto improvisação e outras experiências de movimento. Também organizam rituais e círculos de som, onde as pessoas são convidadas a coceira e explorar o som a partir da sua individualidade à união colectiva.

Yoga para restaurar por Heidi Dyer
Restaura e regenera todo o organismo

dfe940_5e7042c88b214b4389369aec80a7e8a1~mv2

Quando: Domingo, 24 novembro 2019 | 10:00-11:30 horas
Custo: 7€
Registro: Heidi Dyer | 917 909 631

Vivemos tempos acelerados e a prática de yoga restaurador convida a espaço, reflexão e relaxamento profundo. É um método terapêutico que busca relaxar o físico, o mental e o emocional. O yoga restaurador utiliza materiais a facilitar as posturas, deixando-o confortável e é apropriado para iniciantes.

Alguns benefícios:

Restaura e regenera todo o organismo
Acalma a mente e traz clareza
Desenvolve concentração e consciência de si mesmo
Reduz a ansiedade
Aumenta a vitalidade
Auxiliar o sistema imunológico

Curasom Crystal em Marvão por Jose-Carluz
Terapia Pyramidal 5°, 6°, 7° Chakras

Curasom Crystal

Quando: Domingo, 01 dezembro 2019 | 15:30 – 17:30 horas
Custo: 15€ (regista por favor; vagas limitadas)
Registro: Liesbeth Steur | 967 421 914

Numa envolvência sonora e vibracional, os participantes confortavelmente deitados com uma pirâmide exposta no corpo, recebem um fluxo energético de cura pelo som cristal com energia piramidal. Após um determinado tempo deitados ou no final, ao seu ritmo, sentam e colocam a pirâmide no chakra coronário.

Esta sessão é a última de três distintas que além de elevarem a saúde, potenciam a elevação vibracional, promovendo uma vida mais consciente e plena de acordo com a nossa Natureza Essencial.

Convidar a Luz: Celebração do Solstício de Inverno
por Heidi Dyer
Yoga, Meditação guiada, Ritual

freestocks-org-YXyTlLrSVs0-unsplash.jpg

Quando: Domingo, 22 dezembro 2019 | 15:30 – 18:00 horas
Custo: 5€ + um pequeno presente / oferta para troca (até o valor de 5,00)
Registro: Heidi Dyer | 917 909 631 (regista por favor; vagas limitadas)

O solstício de inverno ou a noite mais longa do ano marca o início de nossa subida para dias mais brilhante pela frente. Junte-se a mim para celebrar essa transição com yoga, meditação guiada, ritual e avançar para o novo ano com clareza e intenção.

Todos os materiais (incluindo tapetes de yoga) serão forneceu. Vista roupas confortáveis e chegue de 5 a 10 minutos antes do início do workshop.

 *Você pode trazer um item simbólico para criar um altar para a celebração.

 

Shinrin Yoku – Banho na Floresta

IMG_20190831_124828.jpg

[English]

Já ouviu falar disso? A arte japonesa do Banho na Floresta? Emergir em uma floresta para relaxar profundamente e melhorar a saúde.

Vivendo no interior do Alentejo, podemos pensar que emergimos na natureza o tempo todo. Pelo menos pensava que estava, até tomar banho na floresta com TerraFazBem, de Maria Sousa e Jorge Maia. Vim morar aqui para estar na natureza e viver com a natureza o tempo todo. Onde quer que esteja no Alentejo e onde quer que olhe, toda a natureza me rodeia. Faço longas caminhadas em áreas remotas da Serra de São Mamede, ouço os pássaros como amador e sempre me sinto renovado ao voltar para casa. Então, por que diabos deveria tomar banho na floresta? Bem, depois de ler um livro sobre essa arte japonesa e ouvir Jorge e Maria, reservei e fui junto. Sem preconceitos e sim com a mente aberta.

Agora – depois duma tarde com Maria e Jorge – sei que a minha maneira de conectar está bem e que há camadas nela. É sempre bom estar na natureza e a caminhada de 3 horas que fizemos foi profunda e um abridor de olhos e sentidos. Eu nunca soube que um ser humano está tão intimamente ligado à natureza – nós somos um – como nesta experiência.

Isso mudou a maneira como observo, vejo, ouço, cheirei, gosto e sinto sobre todas as coisas da vida.

Shinrin Yoku, que significa Banho de Floresta ou Terapia Florestal, é exercido no Japão há mais de algumas décadas. Enquanto isso, é cientificamente comprovado que a natureza tem um poder de cura. Todos sabemos que as árvores produzem ar, que a caminhada relaxa e que toda estação é encantadora.

O professor japonês Yoshifumi Miyazaki é professor da universidade e pesquisador e vice-presidente do Centro de Meio Ambiente, Saúde e Ciências de Campo da Universidade de Chiba. Ele escreveu vários livros sobre o assunto sobre os efeitos e vantagens da terapia florestal.

Jorge é licenciado como terapeuta neste campo e as capacidades de Maria, que é ela própria terapeuta e uma mulher extremamente “iluminada”, somam uma experiência profunda.

Sempre que sentir vontade de ter uma nova experiência que possa esclarecer mais sobre por que está fazendo o que em sua vida, sobre o seu estado de consciência, posso realmente recomendar um Banho na Floresta. Mais um passo em frente na direcção de uma boa ou melhor Vida.

Eu amei! Vá em frente!

O próxima banho é domingo dia 17 de novembro. Faz a reserva já!

Banhos de floresta_ back.jpg

Meditação no Domingo 13/10/2019

cropped-peter-hershey-113988-unsplash-1.jpg

 

[English]

Quando levas uma vida caótica, não comece a meditar. Não levará a nada. Talvez até mais caos. Primeiro organize a tua vida para que possa apoiar a tua meditação. Leia e vais entender o porquê.

95% do que fazemos, dizemos e como agimos na vida vem do subconsciente.

Como segues os passos subconscientes ao tomar banho e te vestir. Esse é um processo subconsciente com um objetivo. A meditação também é um processo com uma meta, um propósito. O processo é entrar num estado prolongado de concentração consciente que gera a criação no sentido mais amplo. Antes que isso aconteça, o estado extremamente concentrado da mente possibilita a conexão com a mente subconsciente onde está o teu sistema operacional. O objetivo é reprogramar o sistema operacional subconsciente. Então a criação vai surgir.

Primeiro, SE CONHEÇA, então a conexão com aquele ponto doce de silêncio e criação pode ser feita.

Nunca na vida aprendemos como concentrar ou focar! Aprendemos como distrair r pensar sempre ao futuro com a programação do passado.

A necessidade de aprender a se concentrar deve fazer parte da tua rotina diária. Faça parte da tua vida começando a fazer uma coisa de cada vez. Portanto, escovar os dentes significa que estás presente na escovar, pensando apenas na tua boca, dentes e escova de dentes; conduzir o teu carro e fique 100% consciente do que estás a fazer, sem pensar no que comer no jantar.

Lembre-te de que é preciso coragem para meditar. Com os olhos fechados, não sabes o que vais encontrar. Emoções não resolvidas surgirão da mente subconsciente. Amor próprio, aceitação própria e reconhecer o que parece são a chave! Nunca julgue a ti mesmo ou a outro.

A meditação é uma oportunidade de te familiarizar com todas as coisas que acontecem no e que vêm do teu subconsciente. Olhe para ela, aumente o zoom, sinta-o em todas as tuas células, diminua o zoom e deixe-o desaparecer. Então volte para o teu corpo no estado atual. Essa é a única maneira de conhecer a ti mesmo, teu eu-robô, teu eu-piloto automático e reprogramar.

Prática de meditação
Esteja consciente de que precisas de amor incondicional e força de vontade para iniciar e sustentar essa prática. Então pegue uma nova rotina. Marque um encontro diária contigo, com a tua energia. Crie um espaço de meditação e comece a ficar sentado por 5 minutos, durante 5 dias por semana. Na semana seguinte, faça 10 minutos, etc.

Obrigada pela tua presença e espero encontrá-lo novamente no próximo Satsang – Meditação e Conversa no Domingo – 10 de novembro de 2019, 10: 00-11: 30 horas no Yoga Studio Marvão.

Tudo o que existe

b346fca2-6a58-4f72-8710-861285985be1

[English]  [Nederlands]

As bibliotecas estão cheias de livros explicando o propósito da meditação. Resumidamente, definiria assim:

Experimentar a conexão com tudo o que existe.

Isso pode parecer vago, porque o que é “tudo o que existe”?

Literalmente significa: tudo o que existe. Então, tudo que podes perceber com os teus sentidos e “tudo” que não podes perceber com os teus sentidos físicos. Esse segundo “tudo” está em todo lugar em que normalmente percebes o vazio.

Há muito tempo, as pessoas sabiam como fazer isso; por natureza; simplesmente porque somos natureza e a natureza está em nós. Hoje em dia é diferente. Vejo muitas pessoas que não estão satisfeitas com as suas vidas. Eles são sombrios, apressados, sempre querem algo que alguém tem ou tem medo de perder o que tem e sempre há algo a queijar sobre a sua saúde.

Uma coisa é certa. Vivemos num tempo cativante em que a mente pode ser alimentada quase 24 horas por dia. Um fluxo ininterrupto de informações desde as ecrãs está a sobrecarregar a ti. Informações tão voláteis quanto o gás e que sugam te fundo na tela mais cada vez. O resultado é que a profundidade humana desaparece; quero dizer, tornar as informações próprias, digamos, experimentar o conhecimento vivendo-o e convertendo-o em sabedoria. E, ao empilhar todos esses fatos rápidos, adormeces inconscientemente e realmente te tornas estúpido. Pareces transformar te muito lento num robô.

Realmente te lembras que tens um corpo? Te lembras que estás vivo? Na ausência de contato com a tua própria natureza e com tudo o que existe, espreita a tristeza e a insatisfação. E esses sentimentos surgem através do teu próprio modo de vida inconsciente.

Acho que é muito necessário nestes tempos experimentar que és um elo importante no teu ambiente e no cenário universal. Experimentar essa conexão fornece um impulso e uma base para viver plenamente e ter satisfação em todas as áreas. Assim sabes que todo movimento que fazes afeta o mundo; que toda palavra da tua boca afeta o mundo. Faz te prudente contigo, conecta te com o outro num nível que não conhecias antes e, consequentemente, a tua conexão com tudo o que existe cresce.

Este domingo fiz três meditações de 20 minutos cada.

O primeiro levou à experiência do corpo. O segundo se concentrou na consciência do pensamento e o terceiro levou a fazer contato com tudo ao redor; com todos os sentidos em ação. A intenção final era experimentar tudo ao mesmo tempo.

Foi bonito! Quanto maior o grupo, mais forte é a experiência de estar conectado a tudo o que existe. Obrigada a todos!

No próximo segundo domingo do mês – 13 de outubro – continuamos praticar.

És muito bem-vindo a participar.

Foco ou concentração

paul-skorupskas-7KLa-xLbSXA-unsplash
Photo by Paul Skorupskas on Unsplash.com

[English]  [Nederlands]

Durante a nossa criação, nunca aprendemos a concentrar-nos. Já nos disseram desde a infância que devemos fazer isso e ninguém explica como. Nem mesmo os nossos pais. Eles raramente dão um bom exemplo. O que aprendemos é ficarmos distraídos. Sete dias por semana, catorze horas por dia, se não mais. Nós (re) agimos em impulsos vindos de fora de nós. Então somos muito bons em nos deixar distrair porque é isso que fazemos. Em última análise, trazer insatisfação total com as nossas vidas e até alcançar um possível objetivo é difícil, se não impossível.

Foco é o que queremos e para poder ter isso, devemos treinar a nossa concentração. Não aprendes isso num dia. Então, para se tornar uma estrela em ter e manter a concentração primeiro temos que entender como tudo isso funciona nas nossas cabeças.

Existem duas coisas: Mente e consciência.

A mente é uma área muito grande, aparentemente infinita, que podes dividir em todos os tipos de seções relacionadas a estados mentais; com emoções como medo, ciúme, amor, sexo, comida, ódio, raiva, amistade, bondade, empatia etc.

A consciência é uma bola brilhante de luz. É um dado. É sempre a mesma coisa. Essa bola nunca muda de cor, energia, potência ou intensidade.

monique-pongan-ItzbIyqj6X4-unsplash
Photo by Monique Pongan on Unsplash.com

Em que tu focas, encontraras a bola de luz lá. A tua consciência está lá naquele lugar. Aquele lugar está iluminado.

Exemplo:
Vais ao cinema. O diretor colocou tudo nesse filme para excitar o máximo de emoções possível com os espectadores. Moves do medo ao amor, da raiva ao entendimento. Quando o filme termina lês as palavras “The End” e suspiras. Que filme foi esse! Com o seu jeito de filmar, o diretor trouxe a tua bola de luz para todas as partes da tua mente. Assim permites que alguém ou algo faça isso. Isso é exatamente o que acontece o dia todo. Tudo ao teu redor traz a tua consciência para todos os tipos de lugares na tua cabeça. És na verdade um brinquedo do teu ambiente.

Precisas fazer treinamento de concentração diariamente para conseguir algo. Como tens que treinar tudo o que queres se tornar bom. Um talento não vale nada sem treinamento.

Começa simplesmente concentrar-te ao longo do dia numa coisa de cada vez. Se conversar com o teu parceiro, fique por 100%. Fique lá!

A vida é uma aparência (manifestação) de onde a tua energia flui. A tua concentração, atenção ou consciência. Portanto, a tua vida é um reflexo de tua liderança sobre ti e o mundo.

Seja firme com o teu foco e vens aprender meditar! (Calendário)

(Interpretação livre das palavras do Monge Dandapani)

Um braço dobrado

IMG_3290

[English]

No segundo domingo do mês, organizo um Satsang.

Satsang
Sânscrito (Índia): sat = verdade, sanga = companhia.
Geralmente traduzido como:
encontro com a verdade

Satsang para mim significa: estar junto com pessoas que se preocupam com as suas vidas e saúde e querem entender o que é a vida.

Cheguei ao entendimento de que estou aqui nesta vida para aprender uma coisa: como ser “humano”.

Talvez isso pareça um pouco estranho, até perceber que tudo que aprendes quando crescer é se comportar de acordo com as expectativas da sociedade. Te adaptas constantemente aos desejos dos outros e te tornas irreal e insalubre.

Tu aprendes:

  • Como agradar a todos
  • Como ye tornar um escravo obediente à economia que precisa crescer constantemente
  • Como estar a serviço do dinheiro
  • Como estar em serviço para o outro

Assim, na maioria das vezes, as pessoas são vítimas das circunstâncias que a vida parece apresentar espontaneamente, em vez de uma pessoa consciente. As pessoas dormem. Eles vivem sem qualquer objetivo na vida, exceto agradar ao mundo, com o descontentamento e o vazio como resultado. A social média e os smartphones são a distração ideal para não perceber que estás sonambular, para evitar que acordes.

Precisamos acordar para nos tornar humanos. Para nos tornar boas pessoas que sabem o que é a vida. A questão é: como?

Bem, para isso só precisamos de duas coisas:

1. Um meio para desenvolver o autoconhecimento. Meditação é um desses meios. Dissolve passo a passo o irreal em ti. Depois de algum treinamento, a meditação destrói aquilo que é irreal, então tudo o que não é tu.

2. Um braço dobrado para interagir com os outros. Então ninguém pode se aproximar de ti. Sejas todo o amor pelos outros e pelo mundo e mantenhas essa distância do “braço curvado”.

Cada Satsang preencherá as duas necessidades. Meditamos e treinamos como curvar o braço.

Onde: Quinta Os Chões (a minha quinta em Ponte Velha)
Quando: domingo, 9 de junho de 2019 e cada segundo domingo do mês.
Horário: 10: 00-11: 30 horas
Preço por Satsang: 7 €

Nunca não fazer nada

Wandeling LS.jpg

[English]  [Nederlands]

Os meus colegas de casa costumam me perguntar, quando vou não fazer nada. Apenas sentar-me, sem tarefa alguma. É, o que querem dizer. Como eles fazem e, são bons em apenas sentar e olhar para o nada. Olhar para o vazio. Para dizer a verdade, estudo o meu marido às vezes quando está nesse estado e depois de cinco minutos me pergunto: o que há de tão bom nisso? Ele diz que não fazer nada é bom para o processo criativo, assim como o tédio. É um artista. Então tal vez isso explica muito. Às vezes imagino que não fazer nada é uma forma de meditação. Perguntei a ele o que acontece na sua mente quando estar no seu estado de fazer-nada. A sua corrente de pensamentos continua e está inconscientemente sendo arrastado da esquerda para a direita; dum estado de espírito para outro. Sem rumo.

Se essa maneira de fazer nada promove o processo criativo, o que a meditação poderia fazer? Afinal, isso também é estar parado mas com um objetivo, ou seja, desenvolver a consciência. A meditação refina a tua consciência para que possas perceber melhor. Ser capaz de registar claramente o que acontece ao teu redor e em ti, traz compreensão e leva à aceitação da vida como se apresenta. De fato, significa o fim de toda “guerra” na tua vida e para dizer-o melhor: traz liberdade interior.

Há muitas pessoas que não querem aprender a meditar. Eles têm todos os tipos de razões para isso, como não há tempo; é para hippies, para iogues; isso não se encaixa na minha vida e assim por diante.
Alguns deles vêm para as minhas aulas de ioga para participar ativamente nos exercícios. Lentamente estou ajuntar algum tempo para aprender a ficar parado. Começar com cinco minutos. E vejo que eles estão indo bem. Isso os torna quietos e mi também.

Seria maravilhoso se todos pudessem fazer isso em casa no seu próprio tempo. Custa no máximo uma meia hora ou menos por dia. É estranho que todos nós tenhamos tempo para ver televisão, conversar, discutir, fazer amor, comer e escovar os dentes, e ficar quieto por meia hora por dia com uma intenção, parece ser uma ponte longe demais.

Para mim, surge a pergunta: o que as pessoas temem? Estão com medo de se verem no seu mundo autocriado? Sim, isso pode ser intenso.

Podes realmente considerar a minha chamada meditação de percepção como terapia de vida sem terapeuta. Tem um efeito purificador e curativo no teu personagem e fornece compreensão sobre a vida complexa.

Em última análise, aprendes a lidar melhor com bloqueios e problemas, para que sejas mais estável na vida. Isso é algo para ter medo? Eu daria tempo para isso.

Se sentar-te parado, não fazer nada, olhar para o nada e o tédio são bons para o processo criativo, então ficar quieto e praticar a atenção plena, é uma ferramenta melhor, acho, porque o meu processo criativo flui o dia todo e o meu nível de energia é estável. Não tenho que ficar parado e não fazer nada para ter isso. Assim que começo uma tarefa, a transformo numa obra de arte com atenção total. Quer escreva, ensine ioga, limpe a casa ou faça um bolo. Não faz diferença.

Então sim, eu nunca faço nada! E sempre permanecerá assim.

A meditação vipassana

mattia-faloretti-709077-unsplash
Photo by Mattia Faloretti on Unsplash.com

[English] [Nederlands]

No domingo passado iniciei uma nova série de aulas de meditação. Nove participantes estavam presentes e, para eles, quero explicar novamente o que estamos realmente a fazer durante a meditação. E quem sabe, também atrai tu. Estás muito bem vindo para te juntar a nós. As datas estão no site.

Existem muitas histórias sobre o Buda. Como nasceu príncipe com uma colher de prata na boca e que estava curioso para saber o que estava a acontecer fora dos muros da propriedade de sua família. Então, foi embora. Lá, no mundo exterior, se encontrou com a vida real.

Por um tempo o Buda viveu essa vida por completo. Como não conseguia encontrar a felicidade em todos os excessos mundanos, viu a complexidade da vida e foi à procura do segredo da vida estável, agradável e pacífica.

O Buda identificou sete estados mentais – anusayas – que quase sempre levam a infelicidade ou insatisfação.

1. desejo sensorial
2. desejo de manifestar-se
3. agressão, ódio, raiva
4. orgulho, sentir-se melhor (ou menos) de que os outros
5. entendimento incorreto da realidade
6. dúvida, incerteza
7. ignorância ou falta de senso de realidade, inconsciência.

A causa mais profunda dos anusayas é a ignorância. Sobretudo a inconsciência e a interpretação descuidada do que acontece em nós, garante que os anusayas tenham a oportunidade de se manifestar e, então, não lidamos numa maneira sábia com essas emoções, pensamentos e sentimentos.

Essa ignorância nos leva a afeiçoarmos aos pensamentos e sentimentos agradáveis. Permitirmos ser distraídos por tudo (social media, por exemplo) e construímos resistência ao que é desagradável. Escondemos o desagradável em algum lugar distante do nosso corpo e cada vez ligarmos mais ao mundo exterior.

Como se o mundo exterior fosse uma droga que pudesse entorpecer os nossos sentimentos desagradáveis.

Estamos cada vez mais com medo de perder o que temos, ou pior, temos medo de não conseguir ter o que queremos.

O Buda andou muitos caminhos e num dia o segredo se apresentou. Acabou a ser simples e para todos aprenderem.

Desenvolver a consciência.

A consciência traz a percepção e leva à aceitação da vida como se apresenta.

O Buda descreve duas maneiras de alcançar essa percepção.

1. Samatha-yānika: desenvolver a consciência baseada na meditação da calma.
2. Suddha-vipassanā-yānika: o desenvolvimento direto da consciência.

A primeira maneira – a meditação da calma – é muito adequada para as pessoas que têm tempo de se afastar da sociedade. Treinar formas profundas de concentração (isto é a meditação da calma) requer muito tempo e uma longa estadia em reclusão.

A segunda maneira é para pessoas como tu e eu. Estamos no centro da sociedade, vivemos uma vida agitada e ainda queremos desenvolver essa consciência para alcançar à percepção, com o resultado, a liberdade interior. Naturalmente, a concentração também se desenvolve ao longo dessa rota; apenas duma forma mais leve do que com o primeiro caminho.

Assim que começar a usar o vipassana, o aplicarás imediatamente na tua vida diária. Pois, no vipassana observas e registas o que está a acontecer no teu corpo e na tua mente. Assim, todas as experiências mentais e físicas diárias são usadas como objeto de meditação.

Podes considerar a vipassana ou a meditação da percepção, uma terapia de vida. Quer dizer que tem um efeito purificador e curativo no nosso carácter e nos fornece duma visão intuitiva da nossa vida temporal e incontrolável. Aprendemos a lidar melhor com os bloqueios e problemas e a desenvolver estabilidade ao lidar com as experiências do dia a dia.

Meditação – Meditation

chris-ensey-87456-unsplash
Photo by Chris Ensey on Unsplash

(for English scroll)

Duas horas para tí mesmo no domingo de manha

Duas horas para meditar, praticar mindfulness e conversar sobre qual tópico que aparece. Há chá e doces. Estás pronto para arranjar tempo para ti próprio?

Desta vez estaremos juntos no estúdio de yoga.

Deixe-me saber se vais participar (isso seria ótimo).

Até domingo!

Contribuição: 5 €

 

Two hours for your self on Sunday morning

Two hours to meditate, practice mindfulness and for conversation about what topic appears. There is tea and sweets. Are you ready to make time for you?

This time we will be coming together in the yoga studio.

Let me know if you will be attending (that would be great).

Until Sunday!

Contribution: 5€

Além da minha zona de conforto

dsc00043-kopie.jpg

[English] [Nederlands]

Com 7 participantes, o Retiro de Tai Chi Chuan de 4 dias foi um evento intensivo. O programa estava cheio desde o início da manhã até tarde da noite. Em suma, os dias pareciam assim: às 8:00 horas de manha meditação, depois pequeno almoço e depois treinamento de Taiji, almoço, Wudang yoga, palestras, jantar, meditação, dormir.

IMG_2468 kopie

As sessões do treinamento intensivo de Taiji por algumas horas seguidas tiveram lugar na natureza deslumbrante de ambos os lados da fronteira entre Portugal e Espanha. Por isso, ainda era possível ter um vislumbre dessa impressionante Parque Natural. Claro que o castelo de Marvão foi visitado durante o único dia chuvoso e especialmente nublado. Isso fez a aparência misteriosa da fortaleza completa.

Wudang yoga é um importante bloco de construção para a boa execução da forma do Taiji. Eu sinto isso como um treino difícil, embora ser professora de hatha-yoga. Durante as aulas de Wudang yoga, estou completamente removido da minha zona de conforto e isso às vezes evoca resistência. Eu acho que é um treino difícil que me faz muito bem!

IMG_2478 kopie

O professor Rene Goris é um Wudang Daoist de 15ª geração e também é conhecido pelo nome You Li-Ou, PhD. Rene falou extensivamente sobre o taoísmo, as suas experiências nos monastérios nas Montanhas Wudang na China, os cinco elementos (que na verdade não existem como tais), nutrição e muito mais. Nós poderíamos fazer todas as perguntas e as respostas eram abundantes.

Aprendi sobre meditação, o que isso significa exatamente, por que devemos fazê-lo e como funciona exatamente nas olhos do professor. Desenvolver afinidade por tudo e por todos neste mundo é a meditação mais importante a ser feita. Quando tu sentes resistência, fique quieto, até que se torne em afinidade.

IMG_2519 kopie

O retiro foi um sucesso, em parte devido à deliciosa comida vegetariana que Tânia Martins preparou para nós duas vezes por dia. Descubra um talento!

O próximo retiro ocorrerá na segunda semana de maio de 2019. A data exata será anunciada em breve e, em seguida, o registo estará aberto.