Eu te convido

ian-espinosa-742628-unsplash
Photo by Ian Espinosa on Unsplash

[English] [Dutch]

Ainda me lembro bem, a primeira vez que a pergunta “o que estou fazendo aqui?” apareceu. Eu tinha cinco anos, morava na Sicília. O Etna retumbou e cuspiu fogo. Eu acabei de estar à beira da morte por tifo. Naquela noite, no terraço, senti e ouvi o estrondo do vulcão e vi os fogos de artifício. O céu estrelado estava lá como sempre.

A minha mãe e a minha irmã mais velha também estavam lá e, no entanto, me senti como uma alienígena.

“O que estou fazendo aqui?” “O que é tudo isso?” Essas perguntas brincavam na minha cabeça e isso era o começo dum caminho longo cheio de solavancos, pedras, montanhas e vales. Muitas contusões, arranhões e feridas e o cenho franzido na testa se transformou numa ruga vertical permanente entre as minhas sobrancelhas.

Estudar livros grossos, aprofundar-me nas filosofias ocidentais e orientais, ensinar ioga e meditação trouxe algumas respostas, mas pouco para ser mais sábio. Celebrando e vivendo a vida, mergulhando nas profundezas, assumindo riscos com o adágio: vamos ver onde isso vai trazer-me, isso sim deu resultado. E, no entanto, a busca por uma saúde ótima e longevidade continua.

Foi assim que acabei nas filosofias chinesas. Confucionismo e taoísmo. Os livros sozinhos nunca me levaram mais longe, mas a aplicação e prática na vida real da ciência que está nesses livros, isso sim. Yoga ainda é uma media importante para mim e agora eu também pratico Wudang (chinês) yoga e Tai Chi Chuan.

Um mundo totalmente novo está se abrindo para mim. Eu gostaria de compartilhar esse mundo contigo, para que a tua vida diária também se torne mais leve.

É por isso que organizo um Retiro de Wudang Taijiquan de cinco dias. Juntamente com Eduardo Salvador e o professor de Taiji Rene Goris, de Amsterdão, quem nos treinará nesses dias.

Guesthouse Trainspot é o nosso alojamento durante o Retiro. Trainspot está localizado no restaurante / guesthouse antigo da estação abandonada Marvão-Beirã. As faixas são silenciosas e nos mostram um caminho. Marvão está localizado no meio do Parque Natural da Serra de São Mamede, na fronteira com a Espanha. Food & Beverage são fornecidos pela Trainspot e são adaptados ao programa e aos desejos dos participantes.

A língua de ensino será o inglês, com tradução para o português. Os dias estão cheios de meditação, treinamento e passar tempo na natureza, palestras sobre as filosofias subjacentes, comer, descansar e também dormir. Há tempo para acupunctura e massagens.

Tu também podes fazer todas as perguntas que estão na tua cabeça.

Se tu vens do exterior, há uma transferência do Aeroporto de Lisboa para Marvão. Para tornar a retiro o mais fácil possível para ti, o preço é all-inclusive. Só precisas comprar o teu próprio bilhete de avião. Assim podes concentrar-te 100% em ti mesmo. Cinco dias. O site dos Retiros no Alentejo oferece a informação e a possibilidade de te registar.

O meu Tai Chi começou em Jacarta

IMG_1635.jpg

[English]

Algo me atraiu por cerca de vinte anos. Eu não dei nenhuma atenção. Até a presente data. Sim, ocasionalmente fiz um workshop nessa direção e li um livro sobre o assunto. Mas é claro que não tive tempo.

Desde 2016, eu vivo novamente no Alentejo em Portugal e, acredite ou não: ainda não há tempo. Mesmo sem trabalho porque estou reformada, mesmo com todo esse silêncio Alentejano. Antes que percebesse, novamente tive uma prática de yoga e, portanto, uma pequena empresa com todos os direitos e obrigações que a acompanham. ‘De volta ao normal’.

Mas aquilo que atraiu não desapareceu. ‘Sem tempo’ não poderia mais servir como argumento. Havia e sempre há algo a acontecer. Então eu cortei a porcaria (no meu pensamento) e me inscrevi para estudar online com Rene Goris em Amesterdão. Isso foi em abril deste ano.

A disciplina: Wudang Taijiquan ou Tai Chi Chuan.

Todos os novos estudos são desconfortáveis e certamente para alguém que está acostumado a ensinar si mesma. Quando eu comecei, sabia pouco sobre essa antiga disciplina do movimento chinesa, exceto que ela me fascinou por 100% desde o primeiro momento em que a vi pessoalmente.

Isso foi em Jacarta, em 1989.

Eu estava lá para trabalhar e, de manhã cedo, quando o sol ainda não estava levantado, eu puxei as voltas na piscina do hotel. Mas eu não estava sozinha. Dois homens chineses mais velhos se moviam lentamente no crepúsculo da manhã. No silêncio mortal, fizeram movimentos lentos e idênticos.

Eu pensei: eu quero ser capaz de fazer isso também! Não sei porque. Parecia tão meditativo, tão quieto e ao mesmo tempo cheio de força.

Todas as manhãs daquela semana eu olhei para eles depois de nadar. O último dia eu perguntei o que eles estavam fazendo. Tai Chi, eles me disseram. Quando eu disse que queria aprender isso, eles responderam como se duma boca com um sorriso: “Agora não, continue nadando, assim que estiver pronto, tu vais fazer”.

Aparentemente estou pronto agora e entendo que eu não poderia ter feito isso mais cedo na minha vida. O treinamento provoca resistência. Os movimentos parecem ilógicos. Às vezes fico confuso sobre sair da minha zona de conforto. E ainda assim continuo. Agora, depois de meio ano, algo começa a se formar e a necessidade de mais cresce.

Mas sim, sem tempo. Tanta coisa para fazer. Eu tenho um marido, um estúdio de ioga, uma casa, família, amigos, comedores, bebedores e muita diversão. Quando devo treinar então? Eu agora reconheço a sabotagem. Cada dia fica mais claro que é apenas sobre o que eu quero agora, não sobre os pensamentos do passado que assombram a minha mente. Além disso, todos os dias minhas pernas ficam mais fortes, minhas costas mais direitas, a minha respiração mais profunda, a minha cabeça mais quieta e os meus braços mais leves. E isso para alguém que ensina aulas de hatha-yoga há 35 anos. Isso é exatamente o que me fascina. O corpo e a mente não têm limites. Os limites estão apenas na tua cabeça.

Então agora, junto com Eduardo Salvador, organizei um retiro para o final de novembro. Em volta do Taiji. Com Rene Goris de Amsterdão como mestre. Aqui no nosso lindo Alentejo. Para ti, também ser capaz de experimentar como é sair da tua zona de conforto de forma razoavelmente protegida e descobrir (novamente) a ti mesmo, tua força e tua vida.

Como se estivesses apaixonado. Mas agora, com ti mesmo.

Tu não precisas ser flexível; tu não precisas ter experiência. Então esses argumentos são falsos também como falta de tempo. E para os praticantes avançados de Taiji, é um novo desafio.

Talvez novembro seja um dia curto para as pessoas que têm um emprego remunerado e precisam pedir licença. E eu sei que se tu realmente queres alguma coisa, é possível. Então tu também podes inscrever-te para novembro.

Retiro/Retreat Wudang Taijiquan

img_6609

22 – 27 NOV. 2018  

ALENTEJO * MARVÃO * PORTUGAL 

No norte do belo Parque Natural da Serra de São Mamede situado em Portugal e na fronteira com Espanha, existe um lugar onde acontecem retiros muito especiais. Este lugar receberá um retiro de Tai Chi Chuan de Wudang. Este tipo de Tai Chi está a ser ensinado nas montanhas do Wudang na China e agora nas montanhas de São Mamede por um Mestre. Todas as sessões serão em inglês traduzidas em português.

Mais informação clique AQUI!

ENGLISH

In the North of the beautiful and wild natural park Serra de São Mamede situated in Portugal on the border with Spain there is a place where special retreats happen. This place will host a Wudang Taiji Quan Retreat. This type of Taiji is being taught in the Wudang Mountains in China and now in São Mamede Mountains by a Wudang master. All classes will be taught in English with Portuguese translation.

More information click HERE!

Sim, nós fizemo-lo

IMG_1693 kopie

(English)

A nova estrutura do nosso Sinergia Encontro em Domingo funcionou!

O resultado foi de fato 1 + 1 = 3.

Nós nos reunimos com um objetivo comum: nos tornarmos mais conscientes.
Começamos com compartilhar o problema que estava nos incomodando no momento. Pequenas coisas, grandes coisas. Nós ouvimos um ao outro. Nós confiamos o problema ao papel onde ele poderia ficar em segurança enquanto nos levantávamos, encontrando um lugar na sombra para fazer exercícios de respiração e alguns movimentos simples. Em plena concentração. Apenas para se tornar consciente dos nossos corpos e deixar a mente por um tempo. Então nós andamos a espiral sob o sol da manhã.

Nenhum som, algumas canções de pássaros e rodeado por flores silvestres.

De volta ao terraço, uma linda limonada de limão e uma deliciosa focaccia, todos feitos pela nossa amiga Susana Moura Maridalho, estavam à nossa espera. Conversamos sobre as coisas simples da vida como comida, uma arte que os portugueses realmente entendem. Lentamente chegou a hora de sentar-se ainda debaixo duma oliveira. Alguns chamam isso meditação.

Eu chamo isso: não fazer nada. Claro, o objetivo é alcançar o estado de meditação. É um estado. Não é um fazer. Então, apenas sentado e não fazendo nada.

O grupo se espalhou pelo terreno. Cachorro Che andou para conferir todos os participantes e depois ficou com Beatriz. Che é o meio perfeito para verificar se podes ficar quieto ao interior.

De volta ao terraço, voltamos para nossos documentos e compartilhamos como nos sentíamos sobre o que escrevemos há algum tempo. Ainda era um problema?

Uma coisa interessante sobre o Sinergia Encontro em Domingo é perceber que todos os problemas têm a mesma origem. A maioria de nós luta ou tem lutado com os mesmos pensamentos. Através da partilha das nossas experiências e ouvindo um ao outro, a nossa consciência cresce. Karin Pfeifer usou a natureza para deixá-la entender sua declaração da manhã. Ela voltou com algumas flores e uma folha duma vinha, que contaram a ela e a nós coisas incríveis.

IMG_1699 kopie

Então nos despedimos com corações felizes e novos insights até nos encontrarmos novamente em:

Domingo, 8 de julho de 2018, das 10:00 às 12:00 horas.

Seja bem vindo. Já sabes a sinergia dum grupo com um objetivo só: consciencialização.

A chuva chegou

IMG_0733-1

Foi ás quatro de manha quando cheirei e ouvi a chuva. As gotas embateram no telhado e pela porta aberta do quarto penetrou o som de uma cortina de chuva.

É agradável ser despertado assim e depois cair no sono novamente, sonhando em andar na chuva torrencial.

Durante cinco meses o céu ficou azul e o sol brilhou do amanhecer ao anoitecer. Cinco meses de plena seca. Lá de cima economizou-se água também nos primeiros meses do ano.

Quando a água finalmente chegou, era o desejo de todos nós. Água do céu. O desejo dos agricultores, da terra, das nascentes, das minas, das plantas, dos pássaros, dos ratos, das rãs, dos insectos e das oliveiras cheias de azeitonas, já maduras pelo calor constante, mas também secas e mirradas pela falta de água.

Quando me levantei ás sete, já tudo estava seco novamente. Agora brilha o sol e as previsões ainda são de mais chuva para esta noite. De facto, ainda é muito pouco para a natureza, mas talvez seja o suficiente para dominar os grandes incêndios no centro e norte de Portugal.

Aqui a terra tem muita sede e a meu ver o homem no mundo também.

Não pela falta de água. Pois isso ainda há, água potável. Não, há um cúmulo de sede pelo crescimento financeiro, por mais e por muito mais. E esta sede não parece ter um fim anunciado, porque é uma sede artificial que disfarça a sede real. Pois para matar a sede real o homem deve-se virar para dentro. Aí, vive uma nascente inesgotável. Uma nascente que pode trazer satisfação eterna. O caminho interior não custa um centavo e traz tanto, que viver a vida seria cada vez mais agradável.

A pergunta que surge constantemente na minha cabeça é esta:

“Porquê tanta resistência?”

Obrigada Lina da Paz para o reality check :-)

Novo estudio para Yoga Studio Marvão

foto-1

FOR ENGLISH CLICK HERE

Antes dos dias de férias de agosto temos ainda três aulas (e mergulhos) mais ao lado da piscina.

  1. Hoje quarta feira 19 de julho as 19:30 horas
  2. Terça feira 25 de julho as 09:30 horas
  3. Quarta feira 26 de julho as 19:30 horas

O mês de agosto é para celebrar o verão e também para preparar o novo espaço de yoga.


Depois quais um ano de aulas na piscina coberta de Santo António das Areias já sé que temos um grupo núcleo permanente de participantes dedicados ao yoga.

Estou grata à Câmara de Marvão de deixar me usar a sala para poder estabelecer o meu estúdio em Portugal.

Agora ouso profissionalizar. O primeiro passo é alugar um espaço próprio no Ninho de Empresas de Marvão. Em agosto Coen (e meu marido) e eu adaptamos o espaço ao necessidades de um estúdio de yoga profissional. A consequência são cinco alterações.

Alterações

  1. O horário

O horário das aulas trocou. Espero que os alunos de sempre podem adaptar ao horário novo! Agora as terças e quintas são para a yoga. Contate-me por e-mail ou telefone se tens perguntas.

  1. A mensalidade

Com a profissionalização precisei de adaptar a mensalidade para uma aula por semana a € 20. (Duas aulas por semana € 35).

  1. Material

O novo estúdio fornece esteiras, blocos e cintas.

  1. Número de participantes por aula

O número de participantes por aula é limitado a 10-12 por aula. Assim tenho sempre um espaço libre para participantes que querem recuperar uma aula

5. Terapia

O novo espaço da me a oportunidade de também oferecer terapias de relaxamento e “personal coaching”.


Inscrições

Desde agora a inscrição está aberta. Como temos a limitação de participantes, aviso de inscrever-se quanto antes. Por favor envie-me um e-mail (liesbeth@liesbethsteur.com).


Portas abertas

O Yoga Studio Marvão abre a sua porta o sábado, dia 2 de setembro de 15:00-18:00 horas. Vocês estão bem-vindo para tomar ou retomar conhecimento de yoga e meditação, para informar-se ou só para uma reunião agradável.


Espero que vocês estão tão felizes como eu com este passo!

Os meus bons votos para um verão relaxado.

Beijinho, Liesbeth

Yoga classes during summer 2017

 

181_8167

 

(Para português clique aqui)

For more relaxing inspiration and deepening your yoga experience I do wish you would give priority in attending the summer classes.

MAY 2017

Tuesday, May 30, 2017 at 10:30 and 19:00 hours.

Wednesday, May 31, 2017 at 19:00 hours.

 

 JUNE 2017

Tuesday, June 6, 2017 at 10:30 and 19:00 hours.

Wednesday, June 7, 2017 at 19:00 hours.

Tuesday, June 13, 2017 at 10:30 and 19:00 hours.

Wednesday, June 14, 2017 at 19:00 hours.

 

JULY 2017

For the yogis who care to continue during the summer, I have the possibility to give outdoor classes on my quinta/finca (Ponte Velha).

If you are interested please register as soon as possible. There is space for around 8 participants.

Tuesdays at 09:30 hours (July 4, 11, 18 and 25).

Wednesdays at 19:30 hours (July 5, 12, 19 and 26).

 

AUGUST 2017

Holidays.

 

SEPTEMBER 2017

In September 2017 we will start our normal program again. More information will follow.